segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Cortinas de Asas de Borboletas

Arte: Exposição de Oficina de Arte terapia do Capes na Casa de cultura 


1. Cortina de espelhos de espéculos de borboletas . . . transparências . . . sonhos de choros de clemência ou indulgências em minhas dores ou poesia das dores em minhas afortunadas idéias que meandreiam por entre as relvas dos meus jardineiros.

2. Jardineiros são os meus sentimentos que colhem bulbos e os enterram em meus preferidos canteiros.

3. Trazem-me mensagens que chegam à minha melhor mente e não mentem quando eu não quero escutar mentiras.

4. Se à inverdade te atiras, somente colherás frutos da princesa dos Pomares, Superiores Altares, quando a imaginação for sobrepasso da tua melhor intuição.

5. Mentiras travestidas de verdades são ametistas poéticas nada ecléticas.

6. Mentiras disfarçadas de certezas são as asneiras com que fecundas tuas sementes de ilusão.

7. São tuas só . . . teus sonhos . . . teus calos que roçam teus calcanhares e teus cálculos errados que caem nos espelhos das tuas melhores imagens.

8. Imagina-te Condor dos Ares e pousa nos Alpes das tuas conquistas . . . deixa-te conquistar pelos teus melhores Alpinistas e aromatiza teu sonho de veludo.

9. Usa-o como teu melhor escudo e não escuta vozes das desistências (dos outros, dardos atirados) que te chegam como estopins disfarçados.

10. Eles querem apedrejar as flores das rosas-loucas . . . elas são muito poucas e metamorfoses não são permitidas aos permissivos medíocres das trajetórias ordinárias.

11. Eles são muito calculistas e procuram ficar no meio dos ordinários, para não serem notados nem desprezados.

12. Medíocres são dardos envenenados que buscam matar os Pomos Dourados.

13. Se te acertarem . . . e te acertam, tem e tende a certeza que o erro deles é bênção em teu caminhar e em teu andejar . . . como isso entender? Ora, se isso não fosse assim, como conseguirias impulso para procurar tua Tenda de Marfim?

14. Procura, isso sim, que as dores às tuas costas sejam respostas bem postas.

15. Procura, isso sim, que tuas respostas sejam aquistadas por ti, entre teus canteiros e entre os teus melhores conselheiros.

16. Como isso entender, Asas de Borboletas? Isso não é mentira de cigano engano? Pois bem, ou pois mal, depende da credibilidade que navega acima do teu instinto animal.

Eu, a Tenda das Cortinas das Borboletas

Do livro "O Nascimento do Pensamento", Pág 72 


Antonio Carlos Marques 



Postar um comentário