terça-feira, 11 de outubro de 2011

Gorjeios da Confra



Confrades são lisonjas das horas felizes, 
Cores de luz ou de luzes incendiadoras,
Acordes próprios , musas , que me chamam 
Que me clamam, 


Estrelas do ricocheteio,
Gorjeio que me amarfanha por fora e me ora por dentro. 
Ponto, pontos, borboletas, 
Vírgulas aéreas são borboletas 
Que borboleteiam nos ares destes meus e desses teus horizontes ... 
Nossos fins e nossos confins!


Antonio Carlos Marques
Postar um comentário