domingo, 12 de janeiro de 2014

Boicotar a Copa é Sabotar o Brasil

Durante a Copa das Confederações, escutei de um morador de Rio Branco, em entrevista à rádio local, a melhor opinião sobre as manifestações contrárias a realização da Copa no Brasil. Dizia ele, que era hora de todos darem-se as mãos na recepção aos milhares de turistas que virão e que deviam deixar as diferenças de lado, pois o que importa é a imagem do País frente ao mundo. Alguns meses se passaram e parece que isso não vai acontecer, infelizmente.  Há um movimento em curso  por parte de setores da oposição amparados pela grande mídia, com o objetivo de boicotar a Copa do Mundo no Brasil.  "O jogo opositor da Anti-Copa torna-se um jogo anti-Brasil, dentro e fora das quatro linhas."

Alguns colunistas do PIG (Partido da Imprensa Golpista) e a própria candidata Marina Silva estão insuflando as manifestações, “o vem pra rua você também”.  “Ao invés de apostas programáticas – já queos verdadeiros programas de direita no Brasil são inconfessáveis pelos candidatos, embora existam, só lhes resta apostar nos anti-programas, nas catástrofes políticas e sociais possíveis e imagináveis. E nas inimagináveis também.”  Apesar disto tudo, cremos que o povo brasileiro saberá discernir entre os que apostam na baderna e no caos para poderem sonhar com vencer a eleição e aqueles que estão trabalhando por um Brasil Maior. 

Há muita desinformação sobre a Copa do Mundo no Brasil e os benefícios que ela trará ao País e, neste sentido,  publicamos nota do Ministro dos Esportes Aldo Rebelo sobre o assunto.

OS DESAFIOS DA COPA DE 2014  “ O ano de 2013 foi a semeadura para a safra que esperamos fecunda do megaevento esportivo que será a Copa do Mundo de 2014. O Brasil realizou com sucesso o teste principal, a Copa das Confederações, disputada em seis estádios construídos ou reformados com um padrão de qualidade que os entroniza entre os melhores do mundo. Os seis restantes chegam ao término do ano em fase de finalização.

A Copa, e a capilarização de efeitos sociais e econômicos que injeta na sociedade brasileira, consolida-se como uma usina geradora de equipamentos públicos, bens e serviços para usufruto da população. Centenas de obras de infraestrutura arroladas no Plano de Aceleração de Crescimento estão em andamento, legando aeroportos, portos, viadutos, vias de trânsito rápido, veículos leves sobre trilhos, além de melhorias e inovações nos setores de turismo, segurança e telecomunicações.

A colossal empreitada de uma Copa do Mundo em um país onde nem tudo está pronto expõe deficiências e deformidades seculares, mas se materializa com a ferramenta das virtudes. Quem faz um puxadinho em casa sabe que qualquer obra, que se dirá das gigantescas, embute imprevistos, transtornos, gastos inesperados. Mas o Brasil deu neste ano um passo gigantesco para cumprir a missão de realizar, como diz a presidente Dilma Rousseff, “a Copa das Copas”, ou, na definição do povo, colhida em pesquisas de opinião, “a Copa da alegria”.

Uma tarefa adicional em 2014 será a superação das incompreensões e a fixação no público da verdade meridiana de que a Copa e as Olimpíadas são boas para o Brasil. São investimentos antes de gastos a fundo perdido. Geram negócios, empregos, impostos, renda, além de nos trazerem as duas grandes festas do esporte. Projetam o País e seu povo dinâmico. Se temos a certeza factual de que a 20.ª Copa do Mundo será um sucesso, resta a se completar a esperança verde-amarela do hexacampeonato.”

Confira Também pela internet o site da CGU Copa 2014, que visa dar transparência às ações do Executivo Federal no  endereço http://www.portaltransparencia.gov.br/copa2014 


Jorge Passos

Publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional em 08/01/2014


Postar um comentário