terça-feira, 18 de setembro de 2012

Acervo histórico preservado


Foto: Gesner Vaz

Uma das importantes ações da Unipampa, Campus Jaguarão, é o  Projeto de extensão Catalogação e Digitalização de Documentação Histórica que têm por objetivo geral a catalogação e digitalização do acervo de periódicos, livros de atas da Intendência e Câmara de vereadores da cidade de Jaguarão, datadas do século XIX que estão armazenados no Instituto Histórico e Geográfico , as quais são fontes de pesquisa sobre a memória da comunidade e estão em precário estado de conservação, sendo através da digitalização preservados e disponibilizados na forma de mídias como CD, DVD e página na internet. O Projeto é composto por uma equipe multidisciplinar de áreas do conhecimento como informática, história, biblioteconomia, letras e produção cultural.

A propósito de acervo digitalizado, a Biblioteca Digital Nacional disponibiliza para consulta no seu site na internet, http://memoria.bn.br,  riquíssimo acervo de jornais do século XIX, já extintos. Sabemos da importância que isto tem para a pesquisa, ainda mais com os Cursos de História, Letras e Produção Cultural presentes na Unipampa. Por curiosidade, consultei um das centenas de periódicos disponíveis. Escolhi o Annuario da Provincia do Rio Grande do Sul - 1885 a 1891 – sobre as ocorrências com a palavra Jaguarão. Os resultados são muito interessantes.

Em 1885 , informa o Annuario, em Notas sobre a Imprensa do Rio Grande do Sul, havia em Jaguarão quatro Diários.  A Ordem (órgão do Partido Liberal) , O Tempo (conservador) , A Tribuna, A Grinalda ( de cunho literário).  No mesmo ano, para viagens, anunciava-se que aos domingos, o vapor Mirim saia de Rio Grande para Jaguarão com escalas em Pelotas e Santa Izabel, retornando nas quartas -feiras. Aqui em Jaguarão o passageiro poderia utilizar a diligencia agenciada pelo Hotel Frances com destino a Montevidéu ou se pretendesse ir a Bagé, no dia seguinte à chegada do vapor, a empresa Progresso de Diligencias, o levaria em um dia e meio, se primavera ou verão, e em tempo incerto de percurso caso fosse temporada de outono-inverno.

Para expedir um telegrama no Estado do Rio Grande do Sul para os principais países da Europa e América do Norte, por Jaguarão, através do Telegrapho Oriental e Via Galveston, o preço já vinha com o custo do telegrama do Telegrapho Nacional a Jaguarão, de 400 réis.

O Annuario também contém problemas de xadrez, charadas , poemas, crônicas, estatísticas, quadro de arrecadação de impostos do estado, uma visão geral da época. Ernesto Machado, poeta jaguarense, para nós desconhecido, tem três belos sonetos publicados na edição de 1891. Escolhemos um deles:

Sinhá     

Da janella da alcova alcatifada
Ao lado d’um esplendido jardim,
Vem a brisa travessa e perfumada
Da essência peregrina do jasmim.

Corre, voa, perscruta vivamente
Esse ninho de fada embalsamado;
Sobe e desce, brincando doudamente...
Abre e cerra o discreto cortinado! ...

Dorme agitada em sonhos deslumbrantes,
De fórmas quasi nuas, palpitantes,
Mimo de Deus, a divinal sinhá!

Junto à janella, doudo, extasiado,
Canta, canta sorrindo, extenuado,
No leque da palmeira – um sabiá!

(Ernesto Machado)

Faça uma viagem por esse acervo da Biblioteca Nacional enquanto aguardamos a digitalização dos jornais de Jaguarão! 

Jorge Passos

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional do dia 12/09/2012
Postar um comentário