sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Juan Schellemberg no Sete ao Entardecer em Pelotas



O Sete ao Entardecer do dia 3 de setembro será com o maestro, pianista e compositor Juan Schellemberg. Criador do Fugata Tango, trilha pela América passando pela fronteira e fazendo o trecho Montevidéu/Porto Alegre, com seu show Suite Montevideana. Ensinando em Jaguarão e por outras cidades do sul como Pelotas, o músico resgata estilos que integram por sua sonoridade e ventos cisplatinos que fazem parte de sua identidade rioplatense.

No show Suite Montevideana explora novas cores harmônicas e rítmicas à sonoridade do tango instrumental e a milonga, a africanía do candombe, a fusão com o jazz, a valsa e a canção. No espetáculo estarão presentes alumas das obras mais representativas em seus trabalhos anteriores, centrados no tango de vanguarda assim como numa avant premiére do seu próximo cd.

Junto com Juan Schellemberg (piano) estarão na Fábrica Cultural: Douglas Vallejos (sax), Mano Jr ( bandoneom) e Davi Covalesky (violão de sete cordas)

Por Deco Rodrigues - http://www.ecult.com.br

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

A incrível carreata dos Renault La Juvaquatre



Através do conterrâneo João Pompílio Neves Pólvora, tomo conhecimento dos 55 anos do Romi Isetta, o primeiro carro produzido em série no Brasil. A primeira unidade saiu da linha de montagem em Santa Bárbara do Oeste - SP, ás 11h30min do dia 30 de junho de 1956. Porém, o lançamento oficial deu-se a 5 de setembro do mesmo ano em São Paulo, quando 16 veículos partiram em carreata de promoção para uma concessionária situada na Marquês de Itu e circularam pelas principais ruas e avenidas daquela capital. A data assinala o começo da industrialização automotiva em nosso País.

E esse fato me remete a priscas eras em Jaguarão, quando ali existiam as revendas Ford e Chevrolet, respectivamente representadas por Olívio Brum e José Laborda – numa época em que até os mais abonados penavam para adquirir um carro novo – com o que se limitavam ao comércio de autopeças. Se não me engano, os primeiros automóveis Ford que chegaram à revenda local foram modelos de fabricação 1949 destinados ao construtor Gaspar Scangarelli e ao prefeito Dr. Ernesto Marques da Rocha. A Agência Ford contava ainda, em seu leque de atendimento, com Oficina Mecânica e Posto de Gasolina.

Parece-me que toda oficina mecânica que se prezasse, naquele tempo dispunha do seu próprio posto de combustíveis, como eram o caso de Cláudio P. de Freitas e Cantídio Occacia. Daquelas mais antigas, apenas a oficina de Martim Queijo não se dava a esse luxo. Tenho uma vaga idéia de que havia uma bomba de gasolina Ipiranga ali na esquina das ruas General Osório e Andrade Neves, de propriedade de Alter Gonçalves – o que preciso conferir com as “memórias vivas” de Cleber Carvalho e Cláudio Ely Rodrigues.

Esses estabelecimentos eram suficientes para atender a precária demanda da época.

Até me recordo daquele “guarda-louça” preto e quadradão, lataria inteira, quatro portas, os vidros enormes nas janelas e pára-brisa, que “a gente não precisava entrar de bunda para se sentar” como diziam os avoengos. O Marino Hernandorena, com um braço só, pilotava esse seu flamante e antediluviano “bólido” pelas ruas da cidade, ostentando uma privilegiada condição social. A maioria da população valia-se de “autos de praça” nos deslocamentos mais longos atendidos pelos “choferes” André Nunes, Celerino Gonçalves, Gualter Silva e José Luiz Cunha, os mais conceituados.

Cheguei a freqüentar o balcão da Ford em Jaguarão para amenas conversas nas horas de pouco movimento com o filho do “seu” Olívio, meu amigo Flávio Brum. Inteirava-me então das imensas dificuldades de se colocar um carro “zero Km” nessa localidade para cumprir a cota mensal estipulada pela montadora em São Paulo. E o Flávio se via obrigado a seguidas viagens à Paulicéia para retirar um ou outro veículo na porta da fábrica e ali mesmo repassá-lo a preço de custo aos “picaretas”, sempre a postos para “tirar a corda do pescoço” daqueles concessionários ameaçados de perder a revenda. Mas de uma coisa tenho certeza, Alter Gonçalves foi o pioneiro local na comercialização de carros populares, quando conseguiu ser concessionário de uma marca francesa. Na ocasião, recém tinha sido lançado no Brasil o Renault La Juvaquatre, um carrinho que parecia ser de brinquedo, 3,6 metros de comprimento e 600 kg de peso, velocidade máxima de 95 km/h. Ideal para um casal com crianças, tinha razoável conforto para quatro passageiros de estatura mediana.

Assim, o Pompílio me refrescou a memória, fazendo-me visualizar aquela incrível carreata de “La Juvaquatre” (seis mais ou menos), puxada pelo “seu” Alter, pelas ruas de Jaguarão até a residência do prefeito Graciliano Jerônimo de Souza - grande administrador apesar do biótipo minúsculo - onde fez entrega da sua primeira encomenda.

José Alberto de Souza

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fonteira Meridional do dia 29/08/2012

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Los Hermanos



Yo tengo tantos hermanos que no los puedo contar y uma hermana muy hermosa, que se llama libertad. Esse é o ultimo estrofe da canção “Los Hermanos” de Atahualpa Yupanqui. Pensando, cá com meus botões, gostaria agora de falar dos meus irmãos, daqueles que o sangue negou-me, mas o destino me deu de presente, em uma bandeja, que hoje trago sempre comigo no coração.

E eu tenho esses meus irmãos, valiosos e valorosos, companheiros em batalhas onde um dia somos o cavaleiro e no outro o escudeiro, um híbrido de Sancho Pança, com Quixote, uma mistura de dois de igual importância no desfecho das coisas, das histórias, do livro. E cada um deles, os irmãos que tenho, veio por algum motivo a ser o que hoje é. Essa coisa de sina, inexplicável em sua grandeza e simplicidade.

Há o irmão novo, tem menos tempo de casa, mas ainda assim sempre morou lá, mesmo quando não estava, quando não poderia estar, pois sequer havia sido apresentado, ele estava. Na fresta da porta, esperando que a vida anunciasse sua entrada triunfal, irmão de jogo esse, daquele jogo que amamos e que sempre tem uma bola nos pés, irmão de sina, de sorte, até de marcas eternas impressas na pele. Irmão pra uma vida.

Há o irmão de sempre, não anda por perto, mas nunca esta longe, é um pedaço da gente, não importa onde ande, com que passos caminhe, em que caminhos tropece, próximos ou distantes dos meus. É aquele que está no máximo a um telefonema, um trem ou um avião de distância, aquele a quem recorrer quando a coisa parecer impossível. Irmão de uma vida.

E ainda o irmão quase pai, aquele que estava lá desde o nascimento, desde o primeiro dia, quando não éramos mais que um bebê, careca, feioso e desdentado. Um irmão quase pai gêmeo, de quem puxamos tanto( graças a deus), com quem tanto nos parecemos, nas coisas que deveríamos nos parecer. Aqueles que nos obrigam a evoluir, que nos fazem ser melhores, mesmo quando não sabemos sê-lo. Irmão( por sorte) de vida.

São irmãos, pedaços de mim, que andam por aí com seus próprios pés, e que também carrego nos meus passos, e não me pesam meus irmãos, ao contrário me impulsionam, me empurram quando meus sapatos já gastos se recusam a andar. Me mantém vivo, com seus peitos a pulsar dentro do meu. Constroem comigo minhas estradas e me ajudam a respirar, quando a vida diz que tudo está errado, que certas coisas não tem cura, eles, o tempo e aquela irmã maravilhosa chamada liberdade me ensinam que não há caminhos prontos e que se fazem os caminhos ao andar.

Nicolás Gonçalves

Texto publicado na coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional do dia 22/08/2012

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Documentário "Peões" é atração no Cineclube Jaguarão


Finalizando a Mostra em Celebração ao cinema Brasileiro, o Cineclube Jaguarão apresenta nesta quinta-feira, 30 de agosto, o Filme de Eduardo Coutinho (Cabra marcado para morrer, Boca de Lixo) , Peões. A exibição será no auditório do Círculo Operário de Jaguarão, as 20 horas com entrada gratuita.

Peões é um documentário sobre a história pessoal de trabalhadores da indústria metalúrgica do ABC paulista que tomaram parte no movimento grevista de 1979 e 1980, mas permaneceram em relativo anonimato. Eles falam de suas origens, de sua participação no movimento e dos caminhos que suas vidas trilharam desde então. Exibem souvenirs das greves, recordam os sofrimentos e recompensas do trabalho nas fábricas, comentam o efeito da militância política no âmbito familiar, dão sua visão pessoal de Lula e dos rumos do país. O filme foi rodado no período final da campanha presidencial de 2002.

Peões
Quinta-feira, 30 de agosto, 20 horas, no Círculo Operário de Jaguarão
Entrada Gratuita


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Aldyr Schlee: Candidato a patrono da 58ª Feira do Livro de Porto Alegre


Schlee (ao centro) foi Patrono da Feira Binacional do Livro de Jaguarão em 2011  


Fronteiriço de Jaguarão, o escritor Aldyr Garcia Schlee (77 anos) é um autor bilíngue, que escreve e publica sua obra tanto em português como em espanhol. É doutor em Ciências Humanas. Foi desenhista profissional (vencedor de Concurso Nacional para a escolha do uniforme da seleção brasileira de futebol), jornalista (Prêmio Esso de Reportagem), e professor da Universidade Católica e da Universidade Federal de Pelotas (até 1992). Depois atuou como professor visitante do Programa de Pós Graduação em Letras da PUCRS, em Porto Alegre. Foi Consultor Jurídico do Ministério das Relações Exteriores (1976-77) para a redação final do Tratado da Lagoa Mirim, firmado entre Brasil e Uruguai.

Como ficcionista, venceu a I Bienal de Literatura Brasileira (com CONTOS DE SEMPRE), a II Bienal (com UMA TERRA SÓ), e foi finalista do Prêmio Casa de las Américas, em Cuba (com LINHA DIVISÓRIA). Recebeu o Prêmio Açorianos de Literatura em 1997, 1998, 2001, 2010 e 2011, primeiro com a tradução de FACUNDO, de Sarmiento; e depois com os livros CONTOS DE FUTEBOL, CONTOS DE VERDADES, OS LIMITES DO IMPOSSÍVEL e DON FRUTOS.

Este romance foi lançado em 2010 e considerado o LIVRO DO ANO, pelo jornal Zero Hora; sendo distinguido o autor como FATO LITERÁRIO DE 2010, em concurso da Rede Brasil Sul de TV.

De Aldyr Garcia Schlee foram publicadas em 2011 as reedições de CONTOS DE VERDADES e de UMA TERRA SÓ (nome este dado a uma rua de Jaguarão, em homenagem ao autor), assim como sua tradução comentada de DON SEGUNDO SOMBRA, de Ricardo Güiraldes.

Aldyr Schlee entre os Patronáveis da Feira de Porto Alegre pela Câmara do Livro 



Editais de Pontos de Cultura têm prazo ampliado para 11 de outubro



A Secretaria de Estado da Cultura, por meio da Diretoria de Cidadania Cultural, informa que o prazo para inscrições de projetos nos editais de seleção de Pontos de Cultura foi ampliado para 11 de outubro de 2012. A ampliação, que foi publicada no Diário Oficial do Estado em 10 de agosto, objetiva o aprofundamento do processo de democratização das informações acerca dos editais, com a realização de um maior número de oficinas de capacitação de grupos culturais. A meta é que, até o final do período de inscrições, sejam realizadas cerca de 75 oficinas, em todas as 28 regiões do estado definidas pelos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (COREDEs). Até o momento, já foram realizadas 26 oficinas.

Os editais são produto do convênio firmado com o Ministério da Cultura (MinC), a partir da Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural, dentro dos programas Cultura Viva e Mais Cultura. O total de recursos investidos neste convênio chega a R$ 18,13 milhões, contemplando grupos culturais da sociedade civil, sem fins lucrativos, com pelo menos 3 anos de atividades e 3 anos de CNPJ.

No total, serão selecionados 160 projetos culturais. Destes, 100 serão reservados para iniciativas de entidades oriundas de municípios com até 10 mil habitantes, que receberão R$ 60 mil para os próximos três anos (edital SEDAC nº 10 / 2012). Nas cidades com mais de 10 mil habitantes, serão selecionadas 60 propostas para receber R$ 180 mil, em três anos (edital SEDAC nº 11 / 2012). Os editais preveem a seleção de, pelo menos, 6 Pontos de Cultura em cidades de fronteira com Uruguai e Argentina, bem como 16 Pontos de Cultura em Territórios de Paz, no âmbito do programa RS na PAZ.

Ambos os editais estão disponíveis no link www.cultura.rs.gov.br/v2/2012/06/editais-do-rede-rs-de-pontos-de-cultura e no site do programa Cultura Viva / MinC


Com a ampliação do prazo, as inscrições poderão ser feitas até às 18h do dia 11 de outubro de 2012.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A Coluna do Tomate : AQUALUNG - JETHRO TULL


Discografia Básica

Pretendia comentar sobre rock progressivo nesta coluna, mas enquanto me dirigia ao estádio Beira Rio para comprar os ingressos do jogo do Internacional para ver a estreia do novo técnico Fernandão, passei pelo Gigantinho e lembrei de um show que assisti nos anos 80.

Começaram a passar na minha lembrança detalhes deste show... desde a compra dos ingressos até o frio na barriga que senti naquele dia, pois estava prestes a assistir JETHRO TULL. Naquela noite vi um menino de Jaguarão vendendo pulseirinhas e outros utensílios com sua lona estendida no chão para conseguir dinheiro para entrar no espetáculo. Lógico que comprei algo para ajudar meu conterrâneo, o Guga (in memorian)... saudades deste guri... E sobre o show? É óbvio que superou minhas expectativas.

AQUALUNG é o marco do JETHRO TULL, embora outros LPs emplacar com muito sucesso, este disco é imprescindível a qualquer colecionador.

Caro leitores, quando encontrarem algum LP do JETHRO TULL, adquiram de olhos fechados, pois não se arrependerão. É uma ótima “pedida”! Em especial o AQUALUNG. Neste disco prestem atenção no som da flauta do líder do grupo IAN ANDERSON... pois vocês farão uma “viajem até a Escócia”! “Flw”!

Tomate  (Carlos Cardoso)
Coluna Publicada no Jornal Pampeano, edição 24/07/2012


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Garcia Lorca é o autor em destaque no Sarau da BPP



Um dos nomes mais conhecidos da literatura de língua espanhola , Garcia Lorca ( 1898 -1936) é o autor em destaque na XXIV edição do Sarau Poético-Musical da Bibliotheca Pública Pelotense (BPP) , no próximo dia 28. A homenagem ao poeta nascido na Andaluzia ocorre no mês que marca os 76 anos de seu fuzilamento( 19 de agosto) pelas milicias franquistas em Granada, no início da Guerra Civil espanhola ( 1936 - 1939). A poesia e o teatro compõem o centro de sua obra , que se completa com títulos em prosa, composições musicais e desenhos. A fala sobre Federico Garcia Lorca - a cargo de Pedro Bittencourt Jr - abre a edição de agosto do Sarau BPP que, na sequência, apresenta blocos de música ao vivo e poesia recitada de autores locais. Evento com entrada franca e inicio às 19:30 horas. No salão térreo da Bibliotheca.

Criado em maio de 2010 , o projeto Sarau BPP tem eventos mensais - sempre na última terça do mês - e espaço garantido para quatro autores-poetas de Pelotas e região. Como apoiadores institucionais do projeto da Bibliotheca assinam : Confraria dos Poetas de Jaguarão , RadioCOM.104.5FM , Instituto Estadual de Educação Assis Brasil , Curso de Relações Internacionais , Faculdade de Educação  e Centro de Letras e Comunicação - os três últimos vinculados à Universidade Federal de Pelotas ( UFPel). Na coordenação do projeto da BPP estão os ativistas culturais Mara Agripina , Daniela Pires de Castro , Getulio Matos e Pedro Moacyr Perez da Silveira.

SOBRE O AUTOR EM DESTAQUE
PRINCIPAIS OBRAS

POESIA

1921 – Livro de Poemas
1926 – Ode a Salvador Dali
1927 – Canciones (1921-24)
1928 – El Romancero Gitano (1924-27)
1931 – Poema del Cante Jondo
1933 – Ode a Walt Whitman
1935 – Canto a Ignacio Sánchez Mejias
1935 – Seis Poemas Galegos
1936 – Primeiras Canções 1936
1936 – Sonetos Del Amor Oscuro
1940 – Poeta em Nova York (1929-30) – póstumo
1940 – Divã do Tamarit - póstumo

TEATRO

1920 – El Malefício de la Mariposa
1925 – Mariana Pineda
1928 – Oda al Santíssimo Sacramento Del Altar
1930 – La Zapatera Prodigiosa
1931 – Assim que Passarem Cinco Anos – Lenda do Tempo
1931 – Retábulo de Don Cristóvão
1931 – Amores de Dom Perlimplim e Belisa em seu Jardim
1933 – El Público
1933 – Bodas de Sangue
1934 - Yerma
1935 – Dona Rosita, a Solteira
1936 – A Casa de Bernarda Alba

PARA SABER MAIS / AMPLIAR

Sítio  Fundación  Federico Garcia Lorca

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Canción con todos - Jarbas Tauryno e Paulo Renato



Tenor gaúcho, de Jaguarão, Jarbas Tauryno é Bacharel em Canto. Como professor, integrou o Corpo Docente da Universidade Livre de Música de São Paulo, do Conservatório e Faculdade Carlos Gomes e da Fundação das Artes de São Caetano do Sul. Foi também professor convidado da USP - Bauru, ministrando o Curso Desenvolvimento Vocal, conferencista no Centro de Estudos Avançados de Odontologia e Fonoaudiologia (Poços de Caldas, MG), ministrou Curso de Técnica e Interpretação para o Coro Municipal de Cerro Largo, no Uruguai, e desenvolveu o curso "Reconocer el Cuerpo da Desarrollar la Voz" para cantores da Comunidade de Madrid, Espanha.

Organizou e foi presidente do Encontro Nacional de Saúde Vocal nos anos de 1995, 1996 e 1997. Idealizou ainda o Projeto Voz e Vida, objetivando integrar a Arte e a Ciência, com o apoio do SESC, PUC e outras entidades.

Como cantor, seu repertório mostra-se totalmente eclético, indo da ópera ao popular. Conta em seu currículo com apresentações nos Teatros Municipais do Rio e de São Paulo, Amazonas (Manaus), Santa Isabel (Recife), OSPA (Porto Alegre), entre outros, além de shows no Parque do Ibirapuera, Memorial da América Latina e Centro Cultural (em São Paulo). Participou ainda de especiais para a Globo de Bauru e para o "Fantástico", bem como para a TV Cultura de São Paulo. No exterior cantou na França, Espanha e Uruguai.

Tem se apresentado em teatros e casas de espetáculos, sozinho ou em parceria com o cantor popular Paulo Renato, com quem Tauryno lançou em 2000 o CD Viva Vós! (independente) - cuja tiragem encontra-se esgotada.

Numa dessas apresentações-solo, na casa de shows Villaggio Café, em São Paulo, foi convidado pelo diretor artístico da gravadora Lua Discos, Zé Luiz Soares, a registrar em CD seu show "O Canto da Transformação", composto basicamente por clássicos da MPB com mensagens otimistas, além de músicas italianas e religiosas. O disco conta com arranjos de orquestra criados pelo pianista e compositor Keco Brandão (da banda de Zizi Possi). A soma desses arranjos com as canções, mais a interpretação precisa e emocionada de Tauryno resulta num projeto belíssimo, cheio de otimismo e esperança, ideal para esses tempos tortuosos de violência, desigualdades e injustiça social. As músicas falam de paz, amor, esperança, amizade, enfim, de tudo que a humanidade está mais carente.


 

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

"Estômago", uma boa pedida na Tela do Cineclube Jaguarão



Em prosseguimento à Mostra que Celebra o Cinema Brasileiro, o Cineclube Jaguarão apresenta nesta quinta-feira, 23, na Casa de Cultura, o filme “Estômago”.

Com título que a primeira vista mais parece se referir a um documentário científico do que a uma ficção, "Estômago" é uma co-produção Brasil-Itália que traz num roteiro bem amarrado a história de Raimundo Nonato, talentosamente interpretado pelo ator baiano João Miguel (Cinema, Aspirinas e Urubus, O Céu de Suely). O personagem é um nordestino pacato que, sem nenhum tostão, vai tentar a vida numa metrópole qualquer do sul do Brasil e lá, por questão de necessidade, acaba descobrindo e dominando como ninguém a arte de cozinhar. Sua saga na cidade é iniciada num boteco velho (onde aprende a preparar coxinhas), passa por um requintado restaurante italiano e termina, inusitadamente, na cadeia.

Com dois tempos narrativos paralelos que se encontram ao final da história, o filme vai apresentando sutilmente a adaptação de Nonato à vida urbana e à cela do presídio onde foi parar. No fundo, tais ambientes acabam funcionando como cenário para uma reflexão, no mínimo, incomum: a de que o ofício da cozinha (entenda-se o da boa cozinha), à semelhança da arte, pode se mostrar um verdadeiro instrumento de poder na conquista de espaço, prestígio, e quem sabe até da "alma gêmea".

O filme foi lançado em 2007 e é o primeiro longa do diretor Marcos Jorge, experiente em curtas e publicidade, mas pouco conhecido na cena nacional. Inspirada no conto "Presos pelo Estômago" (do livro "Pólvora, Gorgonzola e Alecrim"), de Lusa Silvestre, a fita já carrega prêmios e elogios em festivais no Brasil e exterior. Vale dá uma conferida principalmente pela ótima e divertida atuação de Marcos Jorge, e pela trilha sonora leve e bonita, que, também um valioso elemento narrativo, enriquece a história como um tempero a mais a sobressair naquele prato predileto e bem servido.

Estômago
Quinta-feira, 23 de agosto, 20 horas, na Casa de Cultura de Jaguarão.
Entrada Gratuita


Fonte: http://www.projetolanterninha.com.br texto de Sidnei Matos

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Hoje, Balbúrdia fala de Heróis na Pindorama


O Balbúrdia está voltando das férias. Dessa vez o palco será o Centro Público de Economia Solidária, na Pindorama. Pra chegar lá é só ir pela Coronel de Deus Dias (a que passa ao lado da igreja Imaculada - a igreja azul) até a esquina com Aurélio Bittencourt, dá umas 9, 10 quadras da Av. 27 de Janeiro.

Sei que pode parecer longe, mas para alguns a Unipampa é que é. De qualquer forma, é o Balbúrdia começando a dar uma volta pela cidade.

Neste Balbúrdia vamos falar de heróis, super-heróis, anti-heróis, tanto da ficção como da realidade.

A equipe do Balbúrdia cresceu com novos estudantes que vão participar mais ativamente, apresentando também.

Ganhamos verba do Fomento à Extensão e por isso iremos contar mais seguidamente com participações especiais vindas de outros cantos.

Nesta semana o professor de história e colecionador de quadrinhos Fábio Mendes, de Rio Grande, vem para falar sobre as diferenças dos super-heróis brasileiros, americanos (DC e Marvel) e japoneses, além do uso de quadrinhos em sala de aula. Mas ainda não é com verba do Fomento, pois ele é meu irmão e vem no amor fraternal mesmo!

Vamos relacionar os heróis e os super com filosofia, ética, exemplo, necessidade, busca e falta. Tudo em uma hora de vídeos curtos, música, poesia e bastante bate-papo.


Estão todos convidados.

Sandro Mendes



Sebo Literatum inaugura novo local



O Sebo Literatum, compra e venda de livros usados e novos, sob o comando do Magnus Patron Sória, já funciona em  novo endereço. 

A inauguração do novo Local, Rua General Marques, ao lado do Salão Paroquial, será as 17 horas deste sábado, 18 de agosto. Presenças do Coral Municipal e Confraria dos Poetas de Jaguarão.

Apareça por lá e confira o variado acervo da Literatum. 


Skatista jaguarense é premiado em Bagé

Foto: Rodrigo Sarasol


por Fernanda Cassel

O skate em Jaguarão vem se fortalecendo e uma prova disso são as conquistas dos jaguarenses em campeonatos na região.  Um dos atletas de destaque no esporte é Anderson Perez que conquistou a terceira colocação na categoria Amador II durante a 2ª etapa do Circuito Bageense Amador de Skate, realizado nos dias 04 e 05 de agosto.

O evento que aconteceu na pista pública de Bagé, contou com a participação de skatistas amadores de todo o Brasil e com a presença do skatista profissional Paulo Galera, que lançou seu tênis da marca de skate Freeday e esteve nas páginas da Tribo Skate, edição 200.

Segundo o skatista jaguarense, Furo, durante o ano rolam três etapas desse circuito. “Jaguarão já participou da 1ª etapa, oportunidade em que o Anderson Perez ficou com o primeiro lugar na categoria Amador II. Nessa 2ª etapa conquistou o terceiro lugar e vem liderando o circuito por pontuação”, conta.

Ainda de acordo com Furo, Anderson também irá participar da 3ª etapa que está marcada para o mês de dezembro. “Se ele sair bem, Jaguarão poderá ser campeão desse Circuito que vem movimentando o skate no sul do Brasil”, complementa.

A 2ª etapa ainda contou com participantes nas categorias pré-mirim, mirim, amador II e amador I.

Categoria Amador II, com participação de atleta jaguarense:

1° Lucas Silva  (Luquinhas)- Sapucaia-RS
2° Bruno Dias -  Bagé -RS
Anderson Perez - Jaguarão -RS
 



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Coluna do Tomate: ILLUSIONS ON A DOUBLE DIMPLE - TRIUMVIRAT


Discografia Básica

Tenho orgulho de escrever sobre a banda alemã TRIUMVIRAT, pois me traz ótimas recordações, as quais citarei antes de comentar sobre o grupo.

Descobri a banda por acaso. Tínhamos um costume na minha turma que “curtia” este tipo de som: o “cara” que encontrava alguma novidade e/ou algo interessante sobre rock trazia para a “galera” apreciar e discutir sobre a novidade. E foi assim que descobrimos TRUMVIRAT. Meu irmão Silói tinha acabado de ser removido para Jaguarão e tínhamos o hábito de ir a Rio Branco/Uruguai, nos finais de semana, para comprar LPs. 

Sempre procurávamos algo que não era noticioso (rádio, TV, revista e/ou jornal), ou seja, deixávamos de lado os discos vulgarmente chamados de comercial. Numa dessas andanças comprei três discos, com o dinheiro conquistado com minha profissão, a qual me orgulhava e me realizava, discotecário. Um destes discos foi ILLUSIONS ON A DOUBLE DIMPLE. Detalhe: quase “furamos” o LP de tanto escutar (risos).

TRIUMVIRAT é uma banda do gênero rock progressivo de grande expressão no seu estilo, sendo comparada a excelentes bandas, como: EMERSON, LAKE AND PALMER, YES, RICK WAKEMAN.

Embora ILLUSIONS ON A DOUBLE DIMPLE não seja considerado o mais importante disco da carreira de TRIUMVIRAT, pois o disco “top” foi SPARTAKUS, para a nossa turma este LP é o melhor! O apelidamos de O disco dos ratinhos, por causa da sua capa.

Curiosidades sobre a banda: Eles possuem o melhor disco editado, segundo críticas de revistas especializadas nesta área, mas também, o pior disco que se chama Roleta Russa. Depois deste infeliz fato a banda se dissolveu.

Mas, caro leitores, todos nós já passamos por altos e baixos, portanto repito o que escrevi sobre TRIUMVIRAT: É um orgulho escrever sobre esta banda! Espero que vocês curtam esta “sonzeira”! “Flw”!




Coluna do amigo Carlos Cardoso,  o Tomate, no Jornal Pampeano, edição do dia 21/07/2012


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Importação de talentos




“Jaguarão deixou de ser uma exportadora para ser uma importadora de talentos”. Esta afirmativa  foi pronunciada por Naldyn Mesquita,  estudante universitário oriundo do Rio de Janeiro, num debate promovido para discutir o papel da juventude em nossa cidade, referindo-se ao fluxo de estudantes e docentes para cá.

Uma das responsáveis  por modificar a fisionomia deste município com a sua presença, a Universidade também realiza o sonho de muitos jaguarenses que não tinham possibilidades de fazer um Curso Superior. Quando caminhamos pela periferia, podemos perceber várias faixas comemorativas, pais de famílias modestas festejando a entrada de seus filhos na Unipampa. Mesmo sabendo dos avanços que ainda necessitam ser implementados (formação, melhoria do salário dos educadores) não há como negar a importância da expansão do ensino público em nível superior e técnico nos últimos 10 anos. Na nossa cidade, pode-se dizer que a importação de talentos também ocorre intramuros, isto é, gente com potencial que é incluído num espaço de oportunidades profissionais e de ascensão social por meio da educação pública e gratuita.

E as importações não param por aí. Em conversa com o engenheiro Dionísio Colvara soubemos que sua construtora, que efetua a pavimentação de várias ruas da cidade, teve de contratar no Capão do Leão, especialista em calçamento com bloquetes, o qual está ensinando a vários trabalhadores daqui a sua técnica. A mesma empresa também importou de Santa Catarina uma fábrica de bloquetes e meios-fios de cimento que está a funcionar em dupla jornada, empregando 11 funcionários.  Nas obras do Centro de Interpretação do Pampa e do Teatro Esperança há vagas para carpinteiros e pedreiros oferecendo mais postos de trabalho. A demanda por profissionais da área da construção tem sido tanta que a importação de mão de obra deverá ser inevitável..

Nas artes, a importação de talentos também contribui para a evolução. A presença entre nós do renomado Maestro uruguaio Juan Schellemberg na formação da Orquestra Municipal e  renovação do Coral Jorge Pagliani, o trabalho da professora Tamara Chiz com o Grupo de Dança dos alunos da APAE e na música popular, Hélio Ramirez, que poucos sabem ter nascido no Rio de Janeiro e que já está preparando seu novo CD a ser lançado na IV Feira Binacional do Livro. O Hélio é um verdadeiro cronista da cidade e um estudioso da sua história. A canção Os Fortins de Jaguarão deverá ser o Carro-chefe do novo trabalho.

Gostaríamos, se houvesse espaço, de citar todas as pessoas, e são tantas, talentos importados que abraçaram Jaguarão e estão contribuindo com seu progresso. Fica a nossa satisfação em comprovar que esta cidade, em sua nova fase, transforma-se em polo de desenvolvimento para a região.  

Jorge Passos

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Meridional do dia 09/08/2012


terça-feira, 14 de agosto de 2012

Amanhã tem inicio o Congresso Fora do Eixo Cone Sul em Porto Alegre



De 15 a 19 de agosto, o Congresso Fora do Eixo Cone Sul reúne em Porto Alegre (RS) dezenas de produtores, movimentos sociais, iniciativas, formadores de opinião, artistas, docentes e gestores culturais em uma programação que vai ocorrer em espaços diversos da cidade, como o Memorial do Rio Grande do Sul, Museu da Comunicação e Casa de Cultura Mário Quintana.

São encontros, reuniões livres, plenárias, imersões, grupos de trabalhos, Feira de Economia Solidária e transmissão de debates. Além disso, um percurso cultural percorre os bairros Cidade Baixa, Bom Fim, Rubem Berta e Centro Histórico, com intervenções de artes cênicas, mostras audiovisuais e de artes visuais, performances, projeções em espaços públicos e shows de artistas e grupos independentes do Brasil e da América Latina.

As relações entre pessoas, organizações e redes promovidas pelo encontro promoverá uma grande coalisão de “redes em rede”. Para se inscrever ou propor atividades, basta preencher o FORMULÁRIO  e aguardar o email de confirmação. 

Convidada para o Congresso Fora do Eixo Conesul, Maria Fernanda Rullmann Passos, se diz muito feliz pelo convite. Na quinta-feira, 16, estará na Mesa: Desinventando fronteiras: circuitos culturais no Cone Sul, contribuindo para a discussão com a experiência de Projetos executados em Jaguarão durante gestão na Secretaria de Cultura: Corredor Cultural e RED CCA, junto a convidados de peso: Santiago Turenne, Santiago Neto, Atílio Alencar, Ney Hugo e Luis Quintana Vega. O debate levanta os objetivos de se construir rotas de circulação cultural cone sul e visualiza como podem se dar suas plataformas, em um campo de atuação glocal. 

Clique aqui para ver  a Programação

Consulado Uruguaio felicita Confraria


                                 


Msj Nº 29/2012

El Consulado de la República Oriental del Uruguay en Yaguarón desea expresar sus felicitaciones por los jóvenes pero muy proficuos dos primeros años de vida a la  Confraria de los Poetas. Labor como la que llevan a cabo dignifica el periodismo y vierte cultura.

                                   Atentamente

                                                 Consulado de Uruguay en Yaguarón



segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Romance, filme de Guel Arraes, é atração do Cineclube nesta quinta-feira


Dando sequencia à Mostra  Celebração do Cinema Brasileiro, a atração desta quinta-feira (16)  do Cineclube Jaguarão é “Romance”, novo filme do diretor Guel Arraes (O Auto da Compadecida , Lisbela e o Prisioneiro).

Estrelado pelo Capitão Nascimento, Wagner Moura, e Letícia Sabatella, conta a história de dois jovens atores que se apaixonam durante a montagem teatral do Romance de Tristão e Isolda. Ao mesmo tempo que recriam a história deste casal mítico que está na origem de todos os casais românticos, eles tentam descobrir para si próprios uma nova forma de se relacionar, menos trágica e mais livre, porém carregada da mesma emoção.

Romance é escrito por Guel Arraes e Jorge Furtado, e conta ainda com Andréa Beltrão, Vladimir Brichta, Pedro Cardoso, José Wilker e Marco Nanini no elenco. 

Quinta-feira, 16 de agosto, 20 horas, na Casa de Cultura de Jaguarão.
Entrada Gratuita

Fonte: http://cinemaeafins.com


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O Centenário do Baiano Jorge


Amado , o melhor


Jorge Amado faria 100 anos hoje. É o melhor escritor brasileiro de todos os tempos. Os críticos literários metidos a intelectuais já gastaram muita tinta para diminuí-lo. Inventaram que ser contador de histórias é ruim. Grande escritor seria aquele que reinventa a linguagem. Um Joyce, que ninguém lê, um Guimarães Rosa, cujas cem primeiras páginas derrubam qualquer um. Outros o detonaram por seu militantismo. É a crítica engajada contra o engajamento. Jorge Amado, afora Paulo Coelho, é o único escritor brasileiro realmente conhecido no mundo. Machado de Assis ainda precisa de aval de intelectuais bacanas como Susan Sontag e Harold Bloom para existir no exterior. Todos os outros, mesmo os que mais amamos, inexistem fora do Brasil, salvo nas notas de rodapé de algum especialista. Nem Drummond, nem Clarice, nem Cabral. O mundo dos mortais só conhece e admira Amado.

Faz sentido. Ele criou personagens, mundos, vidas reais, gente falando linguagem de gente. Só Capitu tem tanta vida quanto um personagem de Amado. E, mesmo assim, perde para a exuberância de Gabriela. Volta e meia, alguém diz que Machado de Assis tem sido atrapalhado pelos limites da língua portuguesa. É balela. Verdade pela metade. A difusão universal da obra Jorge Amado prova que línguas não barram o que encanta as pessoas. A literatura russa está aí para não me deixar mentir. Amado foi um gênio, um craque, um monstro da história popular, da narrativa empolgante, envolvente, completa, com ternura, humor, magia, violência, cor local, sentimentos universais, aspirações transcendentais, sincretismo e tudo mais. Machado de Assis foi Pelé. Jorge Amado foi nosso Garrincha. Em certo sentido, Garrincha foi melhor. Um virtuose no seu gênero, na sua especificidade, o que pode colocá-lo acima de Pelé. O Rei do Futebol tem números que deixam tonto. Amado Garrincha cometeu um erro: ser muito popular. Popular como futebol de rua.

Crítico literário, essa categoria em extinção, adora obra chata. Jorge Amado foi incapaz de ser chato. Tem crítico que só admira um texto se tiver neologismos e afetação. Amado passou longe de qualquer afetação. Era autêntico, espontâneo, vital. Não caiu nas complicações linguageiras de Guimarães Rosa nem na secura de Graciliano Ramos. Foi deliciosamente barroco. Nada a ver com a superficialidade vagabunda de Paulo Coelho. Nem com o umbilicalismo dos autores de agora. Ah, se Cristóvão Tezza, que anda julgando o que teremos de bom no futuro, tivesse escrito uma só página de ficção capaz de atar o cadarço do sapato de Jorge Amado! O Brasil não tem Amado atualmente. Não tem um escritor capaz de emocionar o mundo pela profundidade da sua arte abundante e rica.

A mediocridade impera. Há bons escritores. Nenhum com o porte de Amado. Só se conta historinha. Que saudades de Jorge Amado e do seu tempo. Andei relando Jorge Amado. Pensei em largar tudo só para ter tempo de me exilar dentro dos seus livros. Amado, mil vezes Amado, esse Jorge que mata o dragão com estilo.

Juremir Machado da Silva
juremir@correiodopovo.com.br



Dois Anos de Confraria

postagem inaugural do Blog da Confra - 28/06/2010


O Blog da Confraria
é um sarau numa janela:
De um lado, público e crítica;
e, com brilho ou sem estrela,
quem escreve compartilha
na noite fria que gela,
na canícula escaldante,
com ou sem flor na lapela—
seus sonhos e pesadelos,
d'outro lado desta tela!

Confraria dos poetas
de Jaguarão, um abraço!
Ao completar mais um ano
letra a letra, traço a traço!
Brindo em teu santo, contigo,
por teu merecido espaço!
Feito um potro nas coxilhas
retoças, sem embaraço,
neste recanto dos pampas,
livre de aduanas e laços!
Tu és o amigo de todos,
que como mãe, no regaço,
fraterno acolhes quem chega,
mesmo que seja de passo!


Dario Garcia
Jaguarão, 09 de agosto de 2012

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O Liberdade selecionado para Festival em Boston / EUA

Seu Wilson no Bar Liberdade - Crédito Felipe Campal

O documentário O Liberdade foi selecionado para o XVII Festival de Cinema Ibero-Americano em Boston, Estados Unidos. A projeção ocorrerá no Campus da Boston University no dia 23 em outubro de 2012.

A convite do Consulado Geral do Brasil em Boston, o filme será um dos quatro  brasileiros a ser exibido durante o evento. Haverá uma programação paralela com palestras e mesas redondas com os realizadores.


“O Liberdade” é um longa-metragem documentário que recebeu recentemente o prêmio de Melhor Documentário do Mercosul no 16o FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul, e já participou de festivais no Brasil, no Uruguai e na França. Em breve, estará também nas telas da Bolívia, Argentina e Venezuela.



Fonte: http://moviolafilmes.blogspot.com.br

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Em busca do Leitor Perdido -Oficina de Micrometragem na SEDA



Vídeo experimental gravado no dia 15 de junho de 2012, durante oficina de micrometragem na Semana do Audiovisual (SEDA) em Jaguarão.

Oficina vinculada ao Projeto de Extensão Produção Audiovisual, da UNIPAMPA Campus Jaguarão (Universidade Federal do Pampa). A oficina foi ministrada pelo professor da UNIPAMPA Sandro Martins Costa Mendes, um dos coordenadores do projeto de extensão.

Veja os outros vídeos da Oficina: Turvo  Azul   e    Hesitação 


Em breve essa mesma oficina será realizada novamente, e serão anunciados novas oficinas com colaboradores de outras cidades.