sexta-feira, 29 de março de 2013

GBV- Este grupo existiu em Jaguarão

Nesta foto, No clube instrução, de 1986, já no último ano do GBV, 
15 anos da Silvana (irmã da Tatiana). Todos que se encontram na foto, 
praticamente eram do grupo. 



Agosto de 1983, sim.  O mês eu tenho quase certeza.  Isto ficou na memória.  Na casa da Candinha (mãe da Ana Maria Isquierdo),  na Rua Andradas, entre Carlos Barbosa e Gal. Marques.   Ali,  em uma reunião de amigos surgiu um Grupo de Jovens atuante, que existiu até meados de 1986.   O GBV,  grupo que se agregou a Igreja Divino Espírito Santo,  mas que tinha em seu meio,  jovens que não conseguiam ficar presos a certas visões  mais conservadoras. Assim, já começamos  deixando alguns adultos de orelhas em pé. Nos organizamos somente jovens.  Alguns já com 18 ou 19 anos.   E o mais interessante, fazíamos atividades de ação social, além de cultos religiosos onde o pandeiro (naquela época era quase pecado) fazia parte.   Fazíamos encontros onde participavam jovens de várias igrejas (ecumenismo em Jaguarão na década de 80 !!!  Sim, afinal, nós jovens não perguntávamos se era possível,  fomos e fizemos). 

Certa vez num encontro de jovens no CTG Rincão da Fronteira,  participaram jovens de várias igrejas, lembro de  um jovem que deu um testemunho de fé (era Testemunha de Jeová), também da Dilce (hoje reverenda da Igreja Episcopal) além de outros, que talvez até nem frequentassem alguma Igreja.  Mas lá se debatia a juventude, as inquietudes entre outros temas. Foi neste encontro que conheci o Maestro Jarbas Taurino, o qual íamos nos cruzar muito logo ali adiante.  E eu lá no meio,   eu que mais adiante acabei sem professar nenhuma religião, embora procure respeitar todas da melhor forma possível.  O que é a linha do tempo, hem?  

O Grupo Boa Vontade se reunia todos os sábados nos fundos da Igreja, onde discutíamos textos, em geral do Jornal Mundo Jovem (da PUC).  Para quem não sabe, um jornal à esquerda, em plena Ditadura.  Ah, e cantávamos muito, e entre estas músicas "Pra não dizer que não falei das flores".    Será que todos tinham consciência de que período vivíamos (final da ditadura, mas era Ditadura).  Alguns coordenavam o grupo, como o Correto (Ricardo, hoje advogado e Prof. Universitário), o Ricardo Costa (atual Pró-Reitor do Ifsul) além de mim, que acabava fazendo as "vezes" de coordenador.  E a ata, esta eu não abria mão.  Pior,  foi perdida em algum momento da história. Não achei mais.  Me culpo por isso.   Mas, fazer o que.  Ainda bem que nossa memória ainda está boa. Vou deixar para citar nomes de outros integrantes em outro momento (sempre falta algum).

Assim,  vamos resgatando a história de Jaguarão, que se dá também através de ações deste tipo. Pra melhor entender, muitos destes jovens, mais adiante (em seguida) acabaram fundando  um entidade cultural e um Partido Político socialista (PT). Considerando que o atual prefeito é do PT,  podemos perceber  as ligações dos fatos históricos com a conjuntura atual.   Claro que alguns jovens do GBV não participaram nem da luta cultural nem da luta política na década de 80 e 90, porém  os que ali se embrenharam,  nunca mais pararam.  Afinal, o tempo não para.

Carlos José de Azevedo Machado (Prof. Maninho)

Texto publicado na coluna Gente fronteiriça do jornal Fronteira Meridional  do dia 13/03/2013


quarta-feira, 27 de março de 2013

“Turismo étnico e Cultural” é tema de Palestra na Unipampa



Palestrante:

RODRIGO DA COSTA SEGOVIA

Pós-graduando em Culturas, Cidades e Fronteiras - UNIPAMPA

Formado em Administração de Pequenas e Médias Empresas pela Universidade do Norte do Paraná- UNOPAR- Graduando em Gestão de Turismo e Pós Graduando em Culturas, Cidades e Fronteiras pela Universidade Federal do Pampa. Atualmente é bolsista do Programa de Educação Tutorial PET – História da África, pesquisador voluntário no Projeto de Ensino de Espanhol para Falantes de Português, EFALP e membro da diretoria da Conexão Sociocultural.

Programação:
Horário: 18h15
Dia : 27 de março
Local: Sala 312 – Unipampa



terça-feira, 26 de março de 2013

Nota Fiscal Gaúcha combate a sonegação e distribui prêmios



Diversos estados da união estão adotando o programa de nota fiscal que tem como objetivo premiar aqueles que solicitam a nota na hora de suas compras e aqui no Estado, não é diferente. Está em vigência o programa Nota Fiscal Gaúcha, programa do Governo do Rio Grande do Sul, que por meio da distribuição de prêmios , visa incentivar os consumidores a informar o CPF na nota fiscal no ato de suas compras. Através do Programa, os cidadãos concorrem a prêmios de até R$ 1 milhão (um milhão de reais), as entidades sociais por eles indicadas são beneficiadas por repasses e as empresas participantes reforçam sua responsabilidade social com o Estado e a sociedade gaúcha além de evitar a concorrência desleal.

O processo para participar é bem simples, depois de cadastrado, basta que você informe seu CPF no ato de suas compras, sendo que a empresa emissora desta nota fiscal é a responsável por enviar estes documentos ao sistema. Você pode se cadastrar para participar no programa na página www.notafiscalgaucha.rs.gov.br  Ao efetuar o cadastro deve escolher quatro entidades sociais que receberão os repasses. Aqui em Jaguarão, até o momento, apenas a Escola Joaquim Caetano habilitou-se a receber os benefícios. Cremos que o programa pode ser uma importante fonte de recursos adicionais e a escassa adesão das entidades ainda seja fruto da desinformação.

Os requisitos de participação das entidades sociais na área da saúde são: Hospitais que possuam no mínimo 60% dos seus leitos oferecidos ao Sistema Único de Saúde (SUS), Unidades do Programa de Saúde da Família (PSF) ; Entidades de Reabilitação ao Portador de Deficiência, de Referência Estadual e cadastradas no SUS; Entidades de atenção ao tratamento de adicção a drogas cadastradas nos Conselhos Municipais e Regionais de Saúde, quando for o caso. Na área da educação: Estabelecimentos escolares públicos estaduais. Na área do Desenvolvimento Social: Registro atualizado na Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social – STDS; Registro nos Conselhos Municipais de Direitos da Criança e do Adolescente e/ou de Assistência Social.

Quanto às empresas, já há muitas cadastradas em Jaguarão. Por exemplo, no setor de supermercados, mercados e açougues são cinquenta. Me cadastrei como consumidor na semana passada e os comércios da cidade ainda não estão familiarizados com o sistema. O atendente do caixa me olhou com estranheza quando solicitei a inclusão do meu CPF e não consegui cadastrar minha compra. Falta divulgar mais o programa.

O primeiro sorteio acontece no dia 27 de março.

Jorge Passos

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional do dia 20/03/2013

quinta-feira, 21 de março de 2013

Lembranças do Caminho

A Lua da Minervina - Devoto da Imaculada, meu pai sempre tirou o chapéu quando passava por aqui.

Que saudade!

- Das pandorgas feitas pelas mãos de pianista do meu Pai – artísticas confecções – inigualáveis no acabamento e na graciosidade de vôo.


- Da “Hora do Ângelus”, pela voz do Padre Mário, na Rádio Cultura. Sentados à cozinha a Mãe e eu. Ela concentrada na Ave-Maria e eu sonhando em ter a perna mais comprida que a da cadeira.


- Dos divinos sorvetes da Dona Fifa, quando os raros cobres do vazio bolso paterno nos permitiam.


- Das matinês do Cine Theatro Esperança; dos seriados de Buck Jones e Hopalang Cassidy; dos filmes antigos/atuais do Carlitos/Chaplin; da ingênua beleza da Marilyn (embora os mais velhos enxergassem outros atributos).


- Da “Maria-fumaça”, partindo da estação, carregada de lenha e viajantes, no furioso resfolegar, silenciado antes do seu desaparecer na planície sem fim.


- Dos banhos no riacho do Empedrado - menos do afogamento, quando fui salvo pelos cabelos. Uma dívida impagável. O meu benfeitor foi abatido, pouco depois, por uma leucemia aos doze anos.


- Da minha primeira Professora (com P maiúsculo!) – Jalusa Pereira Borges. Austera, uma esfinge de rigidez, e extremamente simpática ao ofertar-me o brinde pela primeira colocação (dez/56). Guardei-o, até extraviar-se no espólio do matrimônio anterior.


- Da doce coleguinha das aulas do Joaquim Caetano, pouco mais velha do que eu. Quase namoradinha. Nunca tomei coragem da iniciativa, outro tomou.


- Da velha pereira do quintal vizinho, até que o galho, insatisfeito com o meu cavalgar, quebrou, e o braço direito também se partiu (dez/57). Ainda assim, adoro pera.


- Dos civilizados, ingênuos e alegres carnavais de antigamente, embora o sono chegasse antes do encerramento do desfile.


- Dos Ford Fairlane/56 e dos Chevrolet Bel Air/57, nos seus flamantes e exibidos passeios pela rua principal; a Vinte e Sete.


- Do final do campeonato mundial de 58, quando a cidade explodiu numa só alegria. Não sabia que tantos gostassem de futebol.


- Do meu primeiro – e único – cachorro. Em homenagem ao herói das histórias em quadrinhos, batizei-o de Valente. Extrema ironia; apanhava de todos. A única batalha enfrentada com estardalhaço era com a roda do velho táxi do seu Pelufo. Perdeu-a também e enterrado no quintal ficou.


- Das “charretes”, puxadas por cavalos, lá do Uruguai; transporte pessoal de outro tempo em tempo alheio.

 
Que saudade da década de cinquenta! Da criança que um dia também o fui. 


Envelhecemos,  a década e eu. Mas esse detalhe pouco importa. O mais importante é que, daqui a cinquenta anos, as crianças de hoje possam também sentir uma benéfica saudade de um tempo que não mais voltará.

Lino Marques Cardoso
 escrito em 12/09/2005

Publicado na coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional do dia 05/03/2013

quarta-feira, 20 de março de 2013

Faculdade de enfermagem Binacional foi tema de reunião em Montevidéu.


El pasado viernes 15 se llevó a cabo en la ciudad de Montevideo, en el Ministerio de Relaciones Exteriores – Dirección de Asuntos Limítrofes la primer reunión para la concreción de la Facultad de Enfermería Binacional, según el mandato político emergente de la VIII Reunión de Alto Nivel de la Nueva Agenda, llevada a cabo en la ciudad de Porto Alegre en el 2012.

Participaron de la referida reunión: Director de Asuntos Limítrofes Emb. Daniel Bentancur, Sub Director Prof. Javier Vidal, Decana de la Facultad de Enfermería de Uruguay Lic. Enf. Sra. Mercedes Perez y Asesora, el Director del Departamento de Intercambios y Programas Internacionales de la Universidad Federal de Pelotas (UFPel) Prof. Dr. Gustavo Oliveira Vieira, el Alcalde del Municipio de Río Branco, Sr Robert Pereira, el Vice Prefeito de Yaguaron, Ing. Agr. Lizandro Lenz, El Secretario de Salud de Jaguarão y el Cónsul Daniel Botta.

En transcurso de la reunión se buriló un proyecto de acuerdo complementario al existente entre la Facultad de Enfermería y la Universidad de Pelotas para incrementar e incentivar el camino de la integración educativa binacional, se proyectaron intercambio de docentes y se fijó para el día 26 de abril una nueva reunión en la ciudad de Río Branco y Yaguarón con el fin de hacer un relevamiento de las necesidades y proyección de empleo en la zona de los profesionales emergentes de la nueva facultad.

Consulado do Uruguay em Jaguarão

O Papa Bergoglio


Fonte: http://www.pagina12.com.ar

domingo, 17 de março de 2013

XII Torneio Internacional De Xadrez Cidade De Porto Alegre

Torneio acontece no Espaço de Eventos do Mercado Público de Porto Alegre - foto de 2012




No próximo sábado, dia 23 de março, será disputado no Mercado Público de Porto Alegre, a partidas das 08 horas, o XII TORNEIO INTERNACIONAL DE XADREZ CIDADE DE PORTO ALEGRE, com a distribuição de R$ 3.200,00 de premiação em dinheiro, além dos sorteios de inúmeros brindes, como Tablet, Playsation II, vestuário e muitos outros.

Restam apenas 30 vagas, garanta já a sua, escrevendo para o email   barretofkm@hotmail.com  informando: NOME, E-MAIL, DATA DE NASCIMENTO E CIDADE.

Lembramos aos já inscritos, que apenas o depósito da respectiva taxa de inscrição garante a sua vaga. O seu pagamento no dia será majorado em 50%, e estará sujeito a disponibilidade de vagas. Portanto, reiteramos o pedido para que o realizem com a maior brevidade possível, a fim de nos auxiliar na preparação as melhor condições para este grande evento.

Temos a satisfação de anunciar a participação do atual Campeão Brasileiro Absoluto, GM Krikor Sevag Mekhitarian, que conquistou o seu título na Final disputada na cidade de Montenegro-RS.

Um dos sócios do MXC ofertou um excepcional jogo de peças importado, confeccionado em madeiras nobres e condicionado em estojo, que será sorteado entre todos os participantes presentes na cerimônia de premiação.

Regulamento, listagem de inscritos, fotos das peças e informações completas no SITE DO MXC


Felipe K. Menna Barreto
Diretor Técnico de Xadrez - MXC

sexta-feira, 15 de março de 2013

Prefeito Cláudio Martins apresenta projeto de Jaguarão para o PAC 2- Cidades Históricas em Brasília.



O Prefeito Cláudio Martins apresentou o projeto com as prioridades do município de Jaguarão para o PAC 2 – Cidades Históricas em Brasília nesta terça-feira (12), onde esteve reunido com a Presidenta Jurema Machado, gestores e técnicos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Jaguarão está entre as 44 cidades do país, e as quatro cidades do Estado, que são prioritárias para a execução de obras do programa orçado em R$ 1 bilhão, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento urbano das cidades históricas e tornar o patrimônio cultural eixo indutor na geração de renda, agregação social e afirmação das identidades.Na reunião, que integrou o processo seletivo do programa, acompanhado pela arquiteta Ariane Rojhan, da Secretaria de Planejamento do município, e da responsável pelo Departamento de Patrimônio Histórico da Secretaria de Cultura e Turismo, Andréa Lima, o Prefeito apresentou ao todo dezesseis ações, entre propostas de restauro de monumentos e edificações de uso público e requalificação de espaços públicos, concentrados na área tombada de Jaguarão. 

Entre os projetos de maior importância apontados estão a requalificação da orla do rio Jaguarão, junto às obras de restauro da Ponte Mauá e do Mercado Público, a restauração da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo e do prédio do Antigo Fórum, atual Casa de Cultura.

Também foram discutidas propostas para contratação de projetos e execução de restauro de outros imóveis da cidade, como o Instituto Histórico e Geográfico de Jaguarão, o prédio da antiga Inspetoria Veterinária, de propriedade do Estado, que se encontra abandonado em plena zona central, e o Clube Social 24 de Agosto, primeiro Clube Negro tombado como Patrimônio Histórico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE).

Com entusiasmo, o Prefeito destacou a importância deste programa para Jaguarão. “Trabalhamos com a perspectiva de conseguir um volume significativo de recursos para a recuperação do patrimônio cultural de nosso município. Estamos colhendo os frutos de investimentos feitos em projetos e das políticas traçadas pelo governo, que apostam no turismo e no patrimônio cultural como geradores de desenvolvimento, emprego e renda para a região”, salienta Martins.


Os resultados oficiais do processo seletivo do PAC – Cidades Históricas serão divulgados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no mês de abril. “ Estou confiante de que tais projetos injetarão um grande volume de recursos no município”, finalizou o prefeito.

Texto: Andréa Lima



Fonte: http://www.clicsul.net

terça-feira, 12 de março de 2013

Fronteira - Além dos Limites


A fronteira, no seu sentido tradicional, vista como limite, como uma linha divisória fixa que separa duas regiões ou países, é uma concepção pouco perspicaz da realidade e, portanto, errônea. Ela, na verdade, é móvel e compreende um espaço bem mais amplo que o limite, abrangendo-o; sendo maior ou menor conforme a efervescência humana das suas margens, sobretudo nas chamadas “fronteiras vivas”, que no dizer de Enrique Padrós (1994), “são aquelas caracterizadas por uma presença demográfica relativamente importante, manifestando uma integração informal que sobrevive às conjunturas políticas de fechamento e de corte” (p. 76). Esse aspecto da relação humana que se forma entre os habitantes de um lado e de outro, também é ressaltado por Benedikt Zientara:

A ideia, universalmente difundida, de fronteira como linha que separa duas regiões diferentes, é errada.[...] as populações que vivem numa zona de fronteira dão origem a uma comunidade fundada em interesses particulares, mantêm entre elas, do lado de cá e do lado de lá da fronteira, uma intensa comunicação. (1989, p. 307-309)

Como intersecção entre dois espaços separados politicamente, conformando, portanto, um “terceiro espaço”, a fronteira apresenta características próprias, sendo um local de contato onde as diferenças se encontram e um lado interfere no outro. No caso das fronteiras entre nações, especificamente onde convivem aglomerações humanas, há uma situação bastante complexa, onde uma linha imaginária divide por vezes as famílias, mas não consegue desfazer a margem de fronteira que, independente das nacionalidades, faz com que uma boa parte dos indivíduos que ali habita viva de uma maneira própria, transformando, de certa forma, aqueles dois confins de países distintos em uma pátria particular.

Mas fronteira é uma região, que envolve a linha limítrofe. Região que pode ser geográfica, mas é, sobretudo, cultural e simbólica.(...) é um portal que muda o status das pessoas e das coisas. Uma zona de transição. Com este poder quase mágico, uma fronteira pode libertar ou aprisionar. Pode antagonizar. Mas pode também integrar. (AXT in GARCIA, 2010, p.13-14)

O termo “fronteira” advém do latim fronteria ou frontaria, significando o território in fronte. Provém do período de expansão do Império Romano e denominava a margem do território a ser defendida e projetava o que deveria ser conquistado. Processo semelhante ocorreu na China Imperial, que estendeu suas fronteiras até encontrar a resistência dos povos do norte, resultando na construção da grande muralha. Nas margens, ou seja, na fronteira que avançava na conquista ou estacionava na defesa, havia sempre o conflito, em maior ou menor grau, inerente ao encontro de culturas diferentes.

Outro enfoque importante, ao se definir a fronteira, é a questão geopolítica. Segundo Zientara:

a doutrina pseudo-científica dos confins naturais, chamada geopolítica (...) atribuía aos fatores naturais uma função determinante na história política (...) afirma que a própria natureza apontou aos vários povos as direções que deve tomar a sua expansão. (1989, p. 308-309)

Essa análise se torna relevante por ter sido a geopolítica, historicamente, usada repetidas vezes como argumento de Portugal, e depois Brasil, para estabelecer a fronteira sul no natural confim do Rio da Prata.

integrar não deve significar perda de identidade nacional, e sim, contato com outras identidades nacionais. É claro que a ideia de integração entre Estados implica também a transformação de mentalidades. (1994, p. 66)

A visão tradicional, que ocasionou uma separação cultural relevante, muito utilizada para a questão política de formação da identidade dos países, então em fase ainda de nascimento, e que perdurou até bem pouco tempo atrás é, portanto, uma perspectiva ultrapassada. A mentalidade que se busca, hoje em dia e doravante, é a de uma integração efetiva, em muito baseada na convivência educacional mútua, que leve a uma real integração cultural dos seres que habitam este espaço territorial: a fronteira.

Elisangela Vasconcellos
Acadêmica de Pós Graduação em Cultura, Cidades e Fronteiras 

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional no dia 27/02/2013 


sexta-feira, 8 de março de 2013

Mulheres Jaguarenses e o 08 de Março


Betinha com pacientes e equipe - Foto Mariane Silva

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher vamos durante o mês de março conversar com Mulheres Jaguarenses, que através de suas lutas diárias fazem valer o 8 de março. A nossa primeira entrevistada é a Pediatra Elizabeth Passos, carinhosamente conhecida como Betinha.

Nascida em Jaguarão em 29 de novembro de 1959, filha de jaguarenses, descendentes, por parte de mãe, de portugueses e por parte de pai de uruguaios. Cresceu um pouco no Uruguai e um pouco no Brasil, se considerando desta forma, “bem fronteiriça”.

Seu pai tinha um comércio do lado de lá do Rio Jaguarão, em Rio Branco, desde cedo já sentia despertar em si a vocação de cuidadora, quando pequena andava sempre as voltas com cachorros e crianças, todo animalzinho doente que encontrava pela rua, levava para casa a fim de cuidá-lo. Muitas broncas ouvia de sua mãe por causa disso. Estudava no colégio das freiras, ginásio Carlos Barbosa e depois concluiu a formação no colégio Espirito Santo, onde fez o cientifico, hoje ensino médio. Nessa época já tinha decidido fazer medicina, cursou faculdade na UCPel em Pelotas.

Em 1986, terminando a formação em Pediatria, veio trabalhar em Jaguarão, na Santa Casa e nos Postos de Saúde da Prefeitura. Também trabalha na cidade vizinha de Arroio Grande.

O meu trabalho sempre foi voltado a prevenção e promoção de saúde na criança, tendo o cuidado de estimular, incentivar, educar junto aos pais, para alcançarmos um ótimo desenvolvimento da criança como um todo, em todos os seus potenciais. Sempre fui e sou uma incentivadora ferrenha do Aleitamento Materno, por acreditar que esta é a melhor maneira de alimentarmos nossas crianças fisicamente e psicologicamente, alcançando com isso, o desenvolvimento de pessoas mais saudáveis e seguras de si”, conta Betinha falando sobre o seu trabalho.

Atualmente, trabalha totalmente voltada para a prevenção, promoção de saúde, incentivo aos cuidados da criança, trabalhando em seu consultório e Postos de Saúde.

Quanto à vida familiar, diz que está muito realizada, pois tem três filhos, Mariana, Assistente Social, João Pedro, Médico Cardiologista e Wanessa (filha do coração) acadêmica de Enfermagem UFPEL. “Ainda não tive a felicidade de ter netos, mas estou aguardando ansiosamente por este momento, porque deve ser mágico, maravilhoso”, confessa Betinha.

Sobre o 08 de Março:

Para ela o dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, deve ser visto como um momento de mobilização para a conquista dos direitos das mulheres e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofrida pelas mulheres no mundo inteiro. “Na área da saúde, nós, como médicos, temos o dever de promover uma medicina de cuidados com a mulher e a criança, sempre com o intuito de ensinar e incentivar uma vida mais saudável, voltada para vivermos em uma sociedade mais equilibrada, socialmente e espiritualmente, com direitos e deveres iguais para todos”, salienta a Pediatra.

Acredita que as mulheres têm alcançado muitas conquistas em todas as áreas da sociedade, mas ainda há muito a se fazer, para chegar a um resultado pleno em relação aos direitos das mulheres, por isso crê que o Dia 08 de março, deve ser lembrado todos os dias.

A minha homenagem é para todas as Mães, mulheres abençoadas, corajosas, guerreiras, defensoras de seus filhos, muitas vezes, sozinhas, chefes de família, que lutam dia a dia para dar o sustento, alimento, educação, amor.

Como Pediatra há 27 anos, tenho observado, principalmente nas famílias com menos condição socioeconômica que são as Mães que são as responsáveis e mantenedoras do cuidado e educação de seus filhos. A minha mensagem é para que toda a sociedade esteja sempre alerta em relação aos cuidados com a família, incentivando as suas mães, mulheres, promovendo condições para que elas possam desenvolver seus potenciais, no papel de mãe, mulher, profissional tornando assim nossa sociedade mais justa, igualitária e feliz”, finaliza Betinha emocionada.

Texto publicado no Jornal Fronteira Meridional , edição de 06/03/2013


quinta-feira, 7 de março de 2013

Circo Portugal Internacional estreia nesta sexta feira (08) em Jaguarão


O Circo Portugal Internacional está em Jaguarão! Anunciado pelo seu avião a estreia está prevista para esta sexta-feira, dia 08 de março, as 20:30 . Instalado no Campo Municipal,  na Vila Keneddy, o circo, de 72 anos de tradição,  está de passagem para temporada no Uruguay e Argentina, possibilitando a todo o público jaguarense desfrutar de seus fantásticos shows.  

Nascido em Portugal, o Circo chegou ao Brasil em sua quarta geração e atualmente está na oitava, garantida pelo atual proprietário Marcos Portugal. A tradição circense de mais de sete décadas é contada na primeira parte do espetáculo, seguida pelo Bailado, um tipo de dança de origem portuguesa, e por apresentações de malabarismo e acrobacias aéreas.

O principal destaque do Portugal Internacional é o Globo da Morte com seis motoqueiros, inédito no Brasil e aplaudido em apresentações internacionais. Mesmo sendo de origem lusitana, o circo tematiza seus espetáculos com a beleza das culturas egípcia e indiana e também traz atrações como as águas dançantes da França, show de ilusionismo e apresentações de jazz, não esquecendo dos tão esperados palhaços.

O circo recentemente fez temporadas em Pelotas e Rio Grande  com enorme sucesso. Presenciei a função em Pelotas e realmente é um espetáculo de primeira qualidade e o Circo Portugal ainda dispõe de uma belíssima estrutura.    



Clique Aqui  para ver mais informações do Circo Portugal no Facebook

terça-feira, 5 de março de 2013

I Seminário Centro de Interpretação do Pampa: A revitalização de um Patrimônio Cultural


O Grupo PIBID História subprojeto Educação Patrimonial  convida toda a comunidade jaguarense para participar do I Seminário Binacional "Centro de Interpretação do Pampa: A revitalização de um patrimônio cultural" com o Historiador Alexandre dos Santos Villas Bôas, Mestrando Patrimônio Cultural – UFSM.

Confiram a programação e participem!!!


Programação:

1ª Parte Teórica
Dia: 06 de março/2013 às 18h15 min.
Local: Unipampa, Sala 312.

2ª Parte Técnica:
Dia: 09 de março/2013 às 10h
Local: Ruínas da Enfermaria Militar (obras CIP- Centro de Interpretação do Pampa)


segunda-feira, 4 de março de 2013

Encerramento da I Temporada do La Mancha foi sucesso total

Eles se encontram no La Mancha

Depois de 4 meses apresentando o melhor da música gaúcha, o Espaço Cultural de Verão La Mancha , inaugurado em novembro de 2012, realizou na noite de  01 de março,  o show de encerramento da sua I Temporada.  Sempre trazendo grandes instrumentistas, interpretes e compositores do Rio Grande do Sul, o público que lotou o agradável espaço criado pela Família Gonçalves, pode usufruir de um grande espetáculo  na noite de sexta, que além do encerramento teve também  a inauguração do Palco que leva o nome de Mário Barbará. Com participações especiais de Ângelo Franco, Chico Saratt, Caminhos de Si, e a abertura da Maria Conceição acompanhada pelo maestro Leonardo Oxley com seu violino enfeitiçado, a noite musical, mais uma vez , prometia  ser de luxo.

Considerado um dos marcos da música nativista, Mário Barbará , acompanhado do guitarreiro Sérgio Souza e do percussionista de São Borja, Paulinho Gerard, fez um show memorável e que possibilitou a todos nós, reencontrarmo-nos com seus grandes êxitos, Velhas Brancas, Desgarrados, Campesina e tantos outros. Foi uma noitada pra não se botar defeito. Na foto acima, um momento muito emocionante. Os vários músicos e artistas que já fazem parte da Casa La Mancha, cantaram junto com o  Barbará: Eles se encontram no cais do porto , pelas calçadas...olhos abertos, o longe é perto , o que vale é o sonho! 

De uma coisa temos certeza. O ponto de encontro para a boa música gaúcha, brasileira e latino americana, no verão, é no La Mancha! Que venha 2014!


Descerramento da placa do Palco Mário Barbará  



domingo, 3 de março de 2013

Associação Conexão Sociocultural é fundada em Jaguarão

foto:  Fernanda Cassel
Na tarde de sábado (23) no Auditório da Universidade Federal do Pampa foi realizada a assembleia geral de fundação da Associação Conexão Sociocultural, momento onde o grupo deliberou sobre diversas questões relacionadas a associação, entre elas, o estatuto. Após os debates, foram aprovadas as pautas e fundada oficialmente a nova entidade que chega com o objetivo de movimentar a cena cultural e utilizar as ações da cultura como ferramentas de transformação social.

De acordo com o coordenador geral, Bruno Marcelino, a ideia surgiu após ele visualizar exemplos de associações em um evento em que participou no final do ano passado em São Paulo. “Vi o contexto cultural da cidade e percebi que a área da cultura ainda está andando em passos lentos. Então a partir dessa visão e com as experiências que conheci , reunimos um grupo e conversamos sobre esse cenário e foi assim que se fortaleceu e nasceu a ideia da nossa associação”, conta.

A Associação Conexão Sociocultural não tem fins lucrativos e tem a finalidade de elaboração e execução de projetos socioculturais junto aos órgãos e setores de fomento, objetivando, entre outras ações, a inclusão das camadas menos favorecidas com programas que melhorem a qualidade de vida, a promoção da cultura, defesa e preservação do patrimônio histórico e artístico, o resgate de identidades culturais perdidas, o fomento de gêneros menos divulgados e o estímulo para o desenvolvimento de novas linguagens artísticas.

Sobre os próximos passos da associação o coordenador geral conta que alguns projetos já estão sendo trabalhados. “Vamos estar atentos aos editais para inscrever e trazer projetos para o município e entre os eventos, temos a ideia de realizar a Virada Cultural”, adianta. Os interessados em buscar mais informações  sobre a nova associação podem entrar em contato pelos telefones (53)8456.7959 (Bruno Marcelino) ou (53) 8428.2641 (Rodrigo Segóvia).

Conheça os cargos definidos na assembleia

Coordenadoria Executiva

Coordenador Geral: Bruno César Alves Marcelino

Coordenador Geral Adjunto: Rodrigo da Costa Segovia

Coordenadora Administrativa: Fernanda Limão Brites

Conselho Administrativo

Presidente: Leandro Vieira de Amorim

Vice Presidente: Luma Reis Ferreira

Outros: Kênya Jéssyca Martins de Paiva e Lucas Arguilar Kist.

Conselho Fiscal:
André Machado Costa, Raniere Dourado e Isac Moraes Lages.


fonte: http://www.jornaltradicao.com.br

sexta-feira, 1 de março de 2013

26 anos de SIC- Sociedade Independente Cultural

junho de 1988 - Encontro de Corais no Esperança - Regência Jarbas Taurino
com  todos os Corais em Conjunto no final - Foto acervo Maninho

Em 16 de fevereiro de 1987 a cidade vivenciou o nascimento oficial da SIC- Sociedade Independente Cultural.  Naquele momento tratava-se de aglutinar os ativistas culturais em torno de uma entidade não governamental, e que possibilitasse espaços para discussão de temas quase proibidos nas rodas oficiais.  Também buscar reavivar o "espírito" que norteou muitos jaguarenses  sete anos antes, que foi o Projeto Jaguar.   Isto se efetivou através dos Seminários Socioculturais, do Coral da SIC, do Grupo Cênico Contranestesia,  do Jaguararte, Exposições,  Palestras, Apresentações Musicais, entre outros. 
          
O pontapé inicial se deu através do maestro Jarbas Taurino que organizou um manifesto destinado aos ativistas. Houve algumas reuniões antes da Assembleia que culminou com seu nascimento.  Destaco a que houve na casa da Dona Solange D'Avila (vó da Deputada Manoela D'Ávila).  Nela estavam ainda a professora Eloiza Timm e o amigo Danilo Brum. Ambos já nos deixaram, porém percebemos o quanto possibilitaram para Jaguarão.  Gostaria de citar os demais, porém, corro o risco de deixar alguns de fora.  Agradeço o amigo Luis Xavier (que lá estava) que rememorou este momento.

No dia 16 de fevereiro de 1987, no salão Episcopal, aconteceu a grande Assembleia que formalizou o nascimento da Sociedade Independente Cultural.  Estive orgulhosamente presente neste momento (à época, estudava Filosofia em Pelotas). Cito as presenças dos saudosos Cléo Severino e Mestre Vado (sempre presentes nas atividades da SIC), além da reverenda Carmem Etel (esta eventualmente sempre dá um pulinho por Jaguarão) que além de ajudar na construção, nos cedeu o local, onde por muitos anos ficou a sede da entidade, que hoje está no Círculo Operário de Jaguarão.


Quero ressaltar ainda, a relação entre os avanços que tivemos nos últimos anos no campo governamental e os agentes que estiveram à frente da pasta da Cultura (mas não só),  que não deixa dúvidas:  "A base para este trabalho esteve na Sociedade Independente Cultural".    

Por isso a importância de resgatar este momento e já deixar o convite para todos os ativistas culturais que em breve teremos uma grande Assembleia para traçarmos os novos rumos da entidade. 

Carlos José de Azevedo Machado ( Prof. Maninho)

Duo Americando (Hélio Ramirez e Claudio Vieira) com particip. especial de Jorge Passos 
(da 1ª formação do Americando), mais Alencar (percussão) e Pardal no Baixo.
                        
Texto Publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional do dia 20/02/2013