quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A MEDIDA DO QUADRADO



A medida do quadrado não é dada,

É a medida imposta pela razão.

Quatro lados de anteparas

Ou de laços e amarras.



René descartou o sentimento...

Alinhou o homem à razão.

A razão se tornou obsessão...

Obcecado o ser dos números.


Os números são cegos, mas não mudos:

Falam da minha vida e dos meus mundos.

A razão que cerca a vida oprime.

Nova forma de viver: com muros.



Um coração, um pensamento,

Um sentimento, solidão...

Racional, mas complexo,

Construído e em construção.



Resta a dor, e a solidão...

Os caminhos poucos,

Do homem oco, são números loucos ...

E os números não o fazem “ser”.



É preciso vencer os números ...

Resta a dor, e a solidão...

Números loucos ...

Não me fazem “ser”...

Fábio Oliveira

Postar um comentário