segunda-feira, 5 de março de 2012

Lua



Aquele beijo que eu te dei,
nunca, nunca mais esquecerei,
A noite linda de luar,
Lua testemunha tão vulgar”
(Roberto Carlos)


Vulgar (no sentido de ser popular), bela, única e totalmente pública, a Lua é o satélite natural da Terra. Sua origem é incerta. Uma hipótese diz que se desprendeu da Terra há muitos bilhões de anos. Outra diz que foi captada do espaço exterior pela gravidade terrestre.
A Lua situa-se a mais ou menos 384.000 Km da Terra, variando entre 360 e 400 mil. Quando está a 360 mil Km ocorre a Lua “cheíssima”.
Cabem 49 Luas dentro da Terra. A gravidade lunar é seis vezes menor que a terrestre, de modo que uma pessoa de 60 Kg pesaria apenas 10 Kg na Lua. É por isso que os 12 astronautas que caminharam em seu solo pulavam alto como se estivessem em câmera lenta.
Quando a Lua passa entre a Terra e o Sol em linha rigorosamente reta, ela tapa o Sol, causando o eclipse solar que projeta a sombra da Lua sobre a Terra. Alguns povos antigos achavam que esse fenômeno era sinal de tragédias designadas pelos deuses.
A órbita da Lua em torno da Terra é extremamente variável, de modo que as posições se repetem somente há cada 19 anos. É por isso que vemos a Lua em variados lugares do firmamento relativamente ao fundo de estrelas por onde passa ao longo de suas belass fases.
O astrônomo italiano Galileu Galilei, em 1610, com sua luneta descobriu que a superfície lunar é formada por vales, montanhas, planícies e milhares de crateras de inúmeros tamanhos.
A Lua não possui atmosfera. É por isso que os astronautas precisam falar pelo rádio, mesmo estando próximos um ao outro, pois a ausência de ar não permite que as ondas sonoras causadas pela voz se propaguem pelo meio ambiente. É também por isso que o céu da Lua é negro mesmo na face voltada para o Sol.
Em 1997 a NASA anunciou que existe água na Lua. Futuramente poderão existir colônias humanas habitando sua superfície. A água lunar forneceria o nutriente básico para:
  • o corpo humano (respiração e alimentação);
  • a plantação de vegetais diversos e, ainda,
  • o combustível para o transporte através de foguetes, pois a água nada mais é do que hidrogênio e oxigênio.
De dia a Lua é branca. Ao escurecer vai passando de tonalidades prateadas para douradas, adquirindo sua cor amarelo ouro, a qual é luz solar refletida. Talvez os egípcios tenham associado o brilho do ouro à cor da Lua no céu noturno, tornando esse metal precioso e fascinante há milênios.
Sempre que contemplamos a Lua, ela está diferente. Apresenta, portanto, milhares e milhares de faces, de aparências e sutilezas que encantam tanto aos namorados, quanto ao observador solitário, quanto ao cientista que mapeia seu solo com o uso de poderosos telescópios.
A Lua é nossa! Aproveitemos esse espetáculo gratuito. Em qualquer lugar da face da Terra a Lua pode ser contemplada serenamente. Isto é um privilégio de qualquer ser humano que tenha um pouco de sensibilidade para perceber o significado da Lua e da luz do luar. Somos bilhões de espectadores, poucos ricos e muitos pobres. Nesse prazer de toda uma vida temos direitos idênticos. Que maravilha da natureza cósmica!
Quando você se sentir meio confuso, perdido ou desesperançado procure contemplar a Lua: você perceberá que as coisas se reorganizarão em sua mente e, portanto, haverá alegria e beleza em sua vida.
Luis Alberto Passos Presa
Psicólogo - Universidade Federal do Amazonas


Postar um comentário