segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Poema



O dia já respirava com dificuldade
O homem caminhava sem saber porquê
Não encontra razões
Não projecta sentidos
Não busca causas
Não sonha sequer pulmões
Ou coração novos
O que ficou para trás não passa de nada
E o que o espera nada é

Paulo José Miranda

Postar um comentário