sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A realidade de Quixote

Fernando Petry como don Quijote na Peça encenada com o Grupo Alas de Cervantes

Que sabem os que o vêem tão somente como um louco?
De aventuras, quase nada; da história, muito pouco
Do mundo só conhecem o cinzento cotidiano...

Que sabem os que se riem da sua ingênua insensatez?
Se envelhecem em seus leitos, invejando-lhe a altivez
E morrem sem viverem (que é o destino mais insano!)

Acaso há melhor sina do que ser nobre entre os nobres
Humilde entre os humildes,  benfeitor dos pobres?
A quem jamais faltaste, destemido paladino...

D. Quijote de La Mancha, que em sua heróica epopéia
Ofertou todas as glórias à sua amada Dulcinéia
Sem buscar maior riqueza que o seu elmo de Mambrino.



                               Martim César Gonçalves
Postar um comentário