sábado, 21 de julho de 2012

Poema Livre

Arte - Exposição do CAPES - Casa de Cultura -2011

Tuas pequeninas mãos macias tangeram o meu rosto
Com o suave ardor de uma noite de verão
Turbilhando meus pensamentos mais audaciosos
De força, paixão, sedução e frenesi.

O sussurro das tuas cantigas de sempre
Fascinavam meus sentidos de um intenso renascer
Era ali que tu estavas, ao meu lado, o mundo distante!
E diante da arte das letras sobrepostas me abraçavas
No intenso amor proibido, marcavas para sempre nosso sentimento.

Abraços delongados, beijos precisos gotejados das mais ricas carícias sonhadoras.
Enternecia, sofregava como um viajante desejoso do destino distante
Ali estávamos nada nos distraia dos carinhos outrora esquecidos
Como flor do campo que contempla o nascer do sol:
Me aquecias, com tuas mãos pequeninas, já vestidas de amanhecer!

Magnus Patron Sória


Postar um comentário