terça-feira, 16 de outubro de 2012

Penso, logo existo? – Por Cosmoson




Pensei ser rocha de praia,
Mas a persistência do mar
Transformou-me em areia

Pensei ser lua cheia
Veio maré de quadratura
Minguou-me em lua meia

Pensei ser mais um Deus
Faltou-me ventura e aventura
Reduzi-me a fantasmas ateus

Pensei ser um sonho
E, desde então,
Nunca mais acordei.

Anderson Souza Silva

Recebemos este belo poema do Anderson Souza Silva. Morando atualmente em Pelotas, Anderson (25 anos) nasceu, foi criado e viveu em Jaguarão até os 17.  Tem como ofício a medicina e, como hobby, a poesia.
Bem vindo à Confraria! 



Postar um comentário