terça-feira, 13 de julho de 2010

SANCHO, AMIZADE E SABEDORIA POPULAR


Elegia a Sancho Pança


Por ti, Sancho Pança, foi criada a palavra lealdade
E foi mais alto e mais real o valor de uma amizade
Que uniu dois seres na mais insólita aventura...

Por ti, que eras ninguém e, no entanto, tudo eras
(Pois fostes a terra que sustentou as vãs quimeras)
Nasceu a lenda do Cavaleiro da triste figura...

Eternamente andarás pelos caminhos de Espanha
Junto a D. Quixote, a acompanhá-lo em sua façanha
De sagrar-se, dentre todos, o maior dos cavaleiros

Pois desde então, na alegria, na tristeza ou no perigo
Sempre que alguém quiser saber o que é um amigo
Recordará a Sancho Pança,o mais fiel dos escudeiros.

Martim César Gonçalves
___________________________________________________________________________________________
Este poema faz parte do livro "Dez sonetos delirantes(e um Quixote sem cavalo)" de Martim César Gonçalves, publicado em 2006 . Se você tem interesse em adquirir esta obra visite a pagina : http://www.martimcesar.com.br/como-comprar.htm .
Sobre a temática da parceria mais cativante da literatura ocidental, Don Quijote y Sancho Panza, recebi valiosa colaboração do amigo Ademar Freitas, o Coroafera de Criciúma, que comparto com voces, artigo de Santiago Real de Azúa na página do BIDAmérica:
Jorge Passos
Postar um comentário