quinta-feira, 11 de novembro de 2010

No cantar de Patativa

A tela do Cineclube da Casa de Cultura de Jaguarão desta quinta-feira estará repleta de poesia.A sessão que tem inicio as 19h e é gratuita, apresenta o documentário de Rosemberg Cariry: Patativa do Assaré- Ave Poesia.


Quando aluou-se Patativa do Assaré
Toda a caatinga num repente ficou triste
O sertão, seu moço, que alegre nunca é
Mas que na fé e na canção sempre arresiste

Todo poeta popular traz por destino
Desde menino, cantar as coisas do seu chão
É ave livre... a alma inteira na garganta
Que se levanta contra as vozes da opressão

Quando chove lá nas bandas do Agreste
A terra se veste com a beleza de uma flô
Mas a chuva de hoje, seu moço, me parece
Uma lágrima de prece no olhar de um cantadô

Tua voz, Patativa, é como o luar do teu Cariri
Alumiando na cantiga, não morrerá nunca mais não
O teu verso é o teu povo, é a semente que ainda insiste
Teu canto não é triste... nem alegre... é o sertão!


Martim César
Postar um comentário