quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Pelotas - Festival Sesc de música: no topo novamente

Brigida Sofia, de Pelotas

LAUREANO BITTENCOURT/DIVULGAÇÃO/JC
Público prestigia apresentações em Pelotas
Público prestigia apresentações em Pelotas
Pelotas, no Sul do Estado, vive até sábado um momento de retomada dos áureos tempos em que se respirava arte, no final do século XIX e início do século XX, quando seus teatros recebiam importantes apresentações artísticas ao lado de Montevidéu e Buenos Aires. O I Festival Internacional Sesc de Música, que começou em 6 de fevereiro, reúne no município professores e estudantes de várias regiões do Brasil - são 17 estados representados - e do mundo - como França, Alemanha, Itália, Cuba, Uruguai, Argentina - em torno da música concerto, instrumental e jazz. 


Para o maestro e diretor artístico do evento, Evandro Matté, as expectativas foram superadas em 300%, com forte audiência em todas as apresentações. “Pelotas tem o melhor público do Interior. Mas devido à época do ano, imaginávamos casa lotada na primeira e na última apresentação. Entretanto, o que vemos é o Theatro Guarany cheio todas as noites. Além disso, os recitais, com repertório bem erudito, também estão disputados.O envolvimento da comunidade é extraordinário”, avalia. Os ensaios abertos e as apresentações acontecem em vários pontos da cidade: no Conservatório de Música da Universidade Federal de Pelotas, na Universidade Católica de Pelotas, na Faculdade Senac, na Sociedade Música pela Música, na Praça Central, na Catedral e, naturalmente, no Theatro Guarany, um marco da cidade. A disposição de tantos locais, próximos uns dos outros, aliada à tradição cultural e à posição geográfica, foram fundamentais para a escolha de Pelotas pelo Sesc para ser sede do evento.
“O festival é o marco da retomada da importância cultural de Pelotas no Rio Grande do Sul. O Sesc promove várias atividades aqui regularmente, mas esta tão grandiosa é diferente. A procura é tão grande que algumas pessoas não conseguiram assistir a alguns espetáculos. E o Theatro Guarany tem 1200 lugares”, explica o gerente do Sesc Pelotas, Luís Fernando Parada, que prevê que as atividades movimentem de 15 a 20 mil pessoas até o último dia.


O trompetista francês Pierre Dutot chegou ao festival por meio de Matté, que foi seu aluno no Conservatório de Bordeaux, na França, onde ele vive. Dutot foi premiado pelo Conservatório de Paris e também é professor em Lyon. Esta é a sua primeira vinda a Pelotas, mas a quarta no Brasil - ele já participou de eventos musicais em Porto Alegre, São Leopoldo e Curitiba. “Pelotas é uma cidade agradável; saio nas ruas e vejo que as pessoas estão felizes de estar aqui. Ver o teatro sempre cheio é maravilhoso”, comenta. Para Dutot, o Brasil faz parte de um grupo de países onde o espaço dedicado à cultura está crescendo, ao lado de México e Venezuela.  “Bem diferente de lugares como Inglaterra, Alemanha e mesmo a França, infelizmente”, opina. O esforço dos estudantes também é um ponto positivo, mesmo diante das dificuldades de investir nestes estilos de música em um país em desenvolvimento. “Meus alunos são muito dispostos, querem muito aprender. A motivação é grande, afinal eles estão em férias, alguns vieram de muito longe para estar aqui. Eu falo para eles irem à França, mas sei que de modo geral é preciso buscar uma bolsa em função dos custos”, afirma. Vencida essa barreira, no entanto, as chances de sucesso são grandes, pois o professor acredita que os brasileiros que chegam ao seu país veem oportunidades que os franceses não aproveitam tanto. “O Brasil tem uma imagem muito boa na França. Sempre digo a meus alunos franceses: ‘Vão ao Brasil porque lá as pessoas estão sempre sorrindo’”, conta Dutot. 


Hoje, às 21h, no Theatro Guarany, tem a apresentação dos grupos do festival Metais e Percussão. Amanhã, no mesmo horário, acontece o concerto Orquestra Acadêmica, na Catedral. No sábado, às 21h, o Clube Brilhante recebe a Banda Sinfônica Acadêmica, sob regência de Dario Sotelo. Em seguida, será feito o encerramento do evento com o espetáculo Instrumental/Jazz. Mais informações no site www.sesc-rs.com.br ou pelo twitter@sesc-rs.


Fonte: http://jcrs.uol.com.br
Postar um comentário