segunda-feira, 2 de maio de 2011

O Clube 24 de Agosto é Patrimônio histórico e Cultural.

Reproduzimos do Blog Turismo em Jaguarão, carta do Professor Caiuá Cardoso Al-Alam em prol da mobilização em defesa do Patrimônio cultural e histórico que representa o Clube 24 de Agosto.


LUTA DO CLUBE 24 DE AGOSTO PARA QUE NÃO PERCA A SUA SEDE SOCIAL. NOSSO APOIO É ESSENCIAL!

Muitos devem conhecer o Clube 24 de Agosto.
Pois é, o clube existe desde 1918 e foi formado por um grupo de negros que tinham sua entrada nos outros clubes da cidade, negada.
A instituição desde esta data nunca fechou suas portas, funciona ininterruptamente.
Território negro por excelência, o 24 tem sua sede própria desde a década de 1970.
Construída a muitas mãos, este prédio ainda hoje é a sede do clube, estrutura que sustenta a sociabilidade de muitas gerações.
Há alguns anos, o Clube tem enfrentado dívidas com o ECAD. É sabido que esta instituição há muito tem suas práticas questionadas, por não representar papel social algum. Inclusive o Ministério da Cultura há tempos vem questionando a existência e as práticas desta instituição.
As dívidas acumuladas perante o ECAD, acabaram levando a hipoteca da sede do clube. A dívida inclusive já foi a leilão e comprada por um morador da cidade, mas ainda não foi executada pois algumas liminares asseguram ainda a posse do prédio ao Clube.
O processo de execução da dívida guarda muitos problemas e irregularidades: cito uma, a hipoteca deve ser feita aos poucos, vendendo os materiais internos por diante, e não como foi feito, onde de primeira o prédio foi avaliado pela dívida. O próprio ECAD também calculou capacidade de público de forma exorbitante em relação ao prédio, cobrando taxa abusiva. Repito que muitas questões são problemáticas no andamento deste processo. A advogada do Clube vem argumentando sobre estas questões e lista estes problemas a que me refiro. E as próprias atitudes do Desembargador que julgou o processo, demonstram um descaso com a questão, pois não leva em conta estes problemas e não aceita questionamentos.
Mesmo sendo difícil a reversão deste quadro, os membros do clube, assim como eu e outros indivíduos da sociedade, acreditam que sobre pressão e mobilização, este processo pode ser revisto.
Precisamos mobilizar não só a sociedade em geral, mas nossos representantes, para quem sabe uma intervenção do Ministério Público Federal ou outra estratégia possam salvar o prédio do 24 de Agosto. O tempo é muito curto...
Como território negro na cidade de Jaguarão, é sabido que existem muitos interesses para que este Clube se extinga, tanto na especulação imobiliária como quanto a aqueles que não aceitam e não respeitam as manifestações de tal grupo étnico.
Temos pouco tempo e toda força é mais que bem vinda!
Segunda-feira (02/05) haverá uma reunião às nove horas da noite na Câmara Municipal para que se construa uma moção de apoio à mobilização do Clube.
Para o dia das mães está programado à tardinha, um abraço ao prédio do Clube, acompanhado de outras atividades, com o objetivo de mobilizar a sociedade de Jaguarão em torno de tal questão e exercer pressão política.
Nesta terça-feira (03/05) às 19 horas na sede do Clube, haverá reunião aberta a todos para organizar esta atividade do abraço à sede do Clube. Todos são bem vindos!!!
Precisamos exercer a maior força possível de pressão política para que as autoridades revejam este caso do 24 de Agosto.
Trata-se de um território negro estabelecido, que com luta se faz presente e persiste nos dias atuais, como marca da reação à intolerância étnico-racial.
Por favor, espalhe este convite!
A UNIPAMPA e seu apoio são essenciais para esta luta!

Peço que aqueles que são solidários com esta causa, encaminhem um e-mail para mim, como forma de assinatura deste apoio (caiua_alam@yahoo.com.br).
Obrigado!
Um abraço a todos e obrigado pela atenção.

Caiuá Cardoso Al-Alam (Professor do curso de História)


A Confraria apoia essa campanha!
Postar um comentário