sexta-feira, 29 de junho de 2012

Theatro Esperança começa a ganhar cara nova



Desde o dia 18 deste mês uma equipe de operários trabalha 
em ritmo acelerado no prédio. Foto Carlos Queiroz
Por: Luciara Schneid
luciara@diariopopular.com.br
  
Em um mês, as obras de recuperação do Theatro Esperança, localizado no centro de Jaguarão, entram na fase de execução da obra propriamente dita. Desde o dia 18 deste mês, equipe da Marsou Engenharia Ltda, formada por dois arquitetos, um engenheiro e mais oito operários, trabalha em ritmo acelerado no prédio, na realização dos serviços iniciais de limpeza, proteção dos pisos, assoalhos e elementos artísticos, essenciais para que o trabalho de restauração possa ser efetivamente iniciado. 

Na quarta-feira (27), as arquitetas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Ana Beltrame e da Marsou, Simone Delanoy, discutiram a programação visual do tapume, que irá isolar a calçada da frente do teatro, na avenida 27 de Janeiro, durante os 18 meses de execução da obra. A proposta é mostrar imagens e textos que contem a história do teatro à população e aos visitantes. As obras integram a segunda e última etapa de restauro da casa de espetáculos, para que ela possa ser devolvida novamente à população jaguarense, pois está fechada desde 2010. 

A arquiteta da Marsou explica que nesta segunda e última etapa de obras, serão recuperados o palco, camarins, plateia, balcão nobre, escadas, foyer, piso, forro, lustre, urdimento, construção de banheiros, luminotécnica e sonorização. O investimento é de R$ 3.913.753,54, recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Ministério da Cultura, com contrapartida da prefeitura. Em breve, será feita a troca do assoalho dos camarotes e, na parte de instalação cênica, que fica acima do palco, uma escada de madeira será substituída por estrutura metálica. O teatro também receberá instalações elétrica e sanitária novas, diz. No foyer, atrás  das bilheterias, o espaço será destinado à instalação de duas lojas.

Na primeira fase, concluída em 2010, com investimentos do governo federal, foram recuperados o telhado original e a cobertura do edifício como um todo, a pintura decorativa mural e as galerias, estruturas que estavam em estado avançado de comprometimento. O prédio é tombado pelo Estado desde 1990 e integra o Conjunto Histórico e Paisagístico da cidade, tombado pela União.

História

O Theatro Politheama Esperança foi construído entre os anos de 1887 e 1897, sob o comando português Martinho de Oliveira Braga. O edifício original possuía depósito de carbureto, combustível de iluminação, e uma cocheira, situada junto à frontaria dos fundos do prédio. A casa de espetáculos movimenta a fronteira desde fins do século 19. 


Postar um comentário