quinta-feira, 2 de setembro de 2010

AS CORES QUE NÃO NEGO MAIS

Jaguarão antigo - Pça. Alcides Marques


Mudando a paisagem e o temperamento, subo às montanhas do meu passado a limpo, porém alegre.

Recolho fotos familiares onde aceito a beleza do preto e branco que, de tão evidente, negava.

Não se trata, ainda, de admitir algum orgulho na origem, mas de libertar os fantasmas que vigiei da casa grande por tanto tempo.

Agora vagam e preenchem cômodos que parecem localizados atrás dos olhos, e transbordam e molham o colorido que não nego mais.




Edson Martins

Postar um comentário