quinta-feira, 2 de junho de 2011

Coluna Gente Fronteiriça : Turismo Local

Carina Lopes

Oi gente! Espero que tenham tido uma boa semana... hoje quero propor um passeio turístico que, além de resultar em uma excelente opção de lazer familiar para um final de semana curto, pode ser realizado de maneira bem econômica.

O destino está aproximadamente a noventa km da fronteira Jaguarão- Rio Branco pela Ruta 18; chegando em Vergara, o melhor é entrar no primeiro trevo de acesso à cidade e segui-lo até o cruzamento da via do trem que tem uma placa indicativa com o nome: General Enrique Martinez. Continue pela estrada de terra indicada, que normalmente está em estado muito bom, por mais uns cinqüenta km e chegará a seu destino.


                              Foto-de-Giovani-Girolometto


Ainda que o nome do povoado seja oficialmente esse, o povo local o chama de “La Charqueada” – nome resultante da existência de um antigo saladeiro- e esse pitoresco lugar define através do Rio Cebollati a fronteira natural entre os departamentos de Treinta e Tres y Rocha.
No Cebollati podem ser praticados esportes náuticos como natação, Ski aquático, canoagem (um evento turístico que acontece anualmente é a Regata Internacional de Treinta y Tres) ou, para os amantes da boa pesca, encontram-se abundantemente: traíras, bagres, pintados, patíes, entre outros.
La Charqueada possui uma zona de camping que dispõe de água potável, churrasqueiras, banheiros públicos e duchas para receber o turista que gosta de acampar, sendo que, para aqueles que preferem um pouco mais de conforto, há também as Cabanas Municipais que podem ser alugadas por preços muito módicos durante todo o ano. No inverno há sempre a possibilidade de acender a lareira e tomar um vinho a dois; e no verão, as áreas verdes e o rio permitem ao turista descansar em um ambiente tranquilo e muito acolhedor.
E se você quiser atravessar o rio e continuar caminho até o Chuí ou até a Lagoa Mirim é só usar a balsa que, ademais de ser gratuita, permanece em funcionamento durante todo o dia. Vale perguntar ao pessoal que faz o translado, o horário em que é encerrada a travessia.
O povoado possui todos os comércios que - por ventura - possam ser necessários ao turista: mini mercados, farmácias, posto de gasolina, padarias, açougues e restaurantes que servem comidas simples, mas muito saborosas, além da insubstituível cervejinha!
O convite está feito e se gostarem da proposta e resolverem se aventurar por aquelas paragens contem-nos, nosso e-mail de contato é carina.gentefronteirica@gmail.com

Abraço e até a próxima semana! 

Texto publicado na coluna Gente Fronteiriça -Jornal Fronteira Meridional.
Edição do dia 26/05/2011 
Postar um comentário