domingo, 26 de junho de 2011

Tristán Narvaja: O Bestiário Do Outro Amon


Pero sabed que la poesía se encuentra en todas
 las partes donde no está la sonrisa estupidamente
 burlona del hombre con cara de pato. (Lautréamont)


Todos os domingos, la Calle Tristán Narvaja em Montevideu, abriga uma feira de pulgas famosa onde se pode encontrar de tudo. Pregos, botões, qualquer tipo de antiguidade, livros raros, o que se puder imaginar.
Mas não era domingo, era uma sexta feira e, mate na mão, saímos a buscar alguns títulos nas livrarias e sebos que estão dispostas quase lado a lado,  nesta  rua tradicional da capital uruguaia. A faina era localizar a Invenção de Morel do Bioy Casares e uma edição dos Cantos del Maldoror  de Isadore Ducasse, o Conde de Lautréamont. Súbito,  nos deparamos não apenas com os Cantos de Isadore, mas com os próprios seres fantásticos de Lautréamont.

El guardián de la casa ladra sordamente, porque le parece que una legión
 de seres desconocidos  se filtra por los poros de las paredes
y traen el terror a la cabecera del sueño. (Los Cantos de Maldoror) 

Tais esculturas estão expostas nas Babilonia Livros da Tristán Narvaja. São obras do artista   Jorge Añon  livremente inspiradas nos seres fantásticos descritos pelo Conde. Este poeta uruguaio nasceu em Montevideo em 1846 e envolto em mistério e sombras radicou-se em Paris onde se auto concedeu o título de Conde e sua alcunha  Lautréamont  referir-se-ia a um outro Amon, (Le autre Amon).  Isadore Ducasse teve uma breve existência, vindo a falecer em 1870 com 24 anos.   



Ademais do que buscávamos, rebuscamo-nos com um Alejo Carpentier, "Reinos deste mundo", um Vargas Llosa, "Tia Julia y el escribidor", "Apocalipticos e Integrados" de Umberto Eco e uma Antologia de la Literatura Fantástica organizada por Silvina Ocampo, Borges e Bioy Casares. 
Finda a jornada, regressamos para o encontro com nossas musas que também se fartaram nas Lojas da 18 de Julio,  abrigando-se contra a brisa fria que vem do rio da Prata. 



Jorge Passos e Sérgio Christino 
Postar um comentário