quinta-feira, 3 de maio de 2012

Filme de Ingmar Bergman é atração de hoje no Cineclube Jaguarão

O Ovo da Serpente, de Ingmar Bergman dá inicio ao ciclo

David Carradine e Liv Ullmann no Ovo da Serpente -
Gênese do Nazismo na Alemanha do pós guerra

Nesta quinta-feira (03), às 20h na Casa de Cultura , o Cineclube Jaguarão dá inicio ao ciclo do mês de maio com o filme "O Ovo da Serpente", do mestre sueco Ingmar Bergman. A sessão tem entrada gratuita.

A história de passa em Berlim, novembro de 1923. Abel Rosenberg (David Carradine) é um trapezista judeu desemprego, que descobriu recentemente que seu irmão, Max, se suicidou. Logo ele encontra Manuela (Liv Ullmann), sua cunhada. Juntos eles sobrevivem com dificuldade à violenta recessão econômica pela qual o país passa. Sem compreender as transformações políticas em andamento, eles aceitam trabalhar em uma clínica clandestina que realiza experiências em seres humanos.


No filme O ovo da serpente, de Ingmar Bergman, dois desempregados aceitam trabalhar numa clínica que faz experiências com seres humanos. É a Berlim da falência da República de Weimar. A decomposição do Estado está retratada na dissolução da moeda: seu valor já é medido pelo peso do papel em que ela é impressa. O filme de Bergman mostra a gênese do nazismo, na consciência dos humanos degradados. Eles preparam-se para aceitar, no nazismo, o mito da redenção pela raça e assim ver o outro como uma “coisa”, para que a sua própria pequenez possa imperar sem contrastes. É o ovo da serpente, a célula do mal em gestação, a expressão do processo vital, que prepara o seu ataque ao coração da democracia, depositado no corpo da Constituição de Weimar.  (Tarso Genro)



Postar um comentário