segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Num Sebo



Ontem, num Sebo,
Num Sebo da rua General Vitorino,
encontrei Bandeira, Olegário e, pasmem,
Lá estavam também
Drummond e Neruda...
E eu, com Vinícius
debaixo do braço,
Fiquei quieto, reverente, 
Ante a genial seleta
Que, do Sebo, em espiral,
Subia direto à alma...


Onde andaria Quintana?


De certo colhendo alumbres
Na Rua dos Cataventos...  


José Paulo Nobre

Do livro "Um milagre chamado Poesia"
O autor é Jaguarense, membro da Academia Rio-Grandina de Letras
Membro Fundador da Casa do Poeta Brasileiro no
Cassino-Rio Grande
Postar um comentário