sábado, 3 de setembro de 2011

Poetando o Patrimônio Histórico




Patrimônio Histórico nacional
Ouro Preto do Sul.

Não, não, nunca  duvidei desta condição
A ela chegamos porque sonhamos juntos
A praça, o rio, a ponte, as portas,
As casas, as falas, a memória, as ruas.
A paisagem, a  gente.
Tudo tão próximo, e às vezes tão estranho
Praça das carretas, Picadinho do Aníbal, a Ponte Preta
Alguém se lembra,  alguém conhece...
Mario Franco, Pitrês, Iracema,
Tereza dos ovos, Teresa das Galinhas, das ervas....
Tantas Teresas, numa só Teresa
Como a poesia é livre, o poeta das Águas Doces, José Alberto de Souza,
Deu vida nova à nossa Praça das Carretas:
“Tapumes, obras e prédios,
Ainda resiste ali a figueira,
Antigamente ramada
De gaudérios estropiados,
Em volta das trempes,
A preparar o pouso...
E a memória perambula
Nos tempos e nas  distâncias.(...)”

Só protegemos o que amamos,
Só amamos o que conhecemos.

Carlos José Maninho

Texto recitado pelo autor no lançamento do Projeto Pibid ( Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência-Unipampa) em julho/2011. O Programa é realizado  nas escolas Espírito Santo, Pio XII e Alcides Marques. No Espírito Santo  acontece o subprojeto em História, com o foco em  Educação Patrimonial, no Ensino Médio e Eja.



Um comentário:

José Alberto de Souza disse...

Um sonho que se torna realidade devido ao empreendedorismo dessa gente abnegada resgatando valores que nem a poeira do tempo conseguiu esconder. Parabens.
Muito grato pela citação.

UM DIA EN RIO BRANCO -URUGUAY ( Século XX)

Amanheceu. Da quinta vem o ruído da enxada limpando o pasto na volta dos morangos. São poucos, mas bem cuidados. O terreiro das galinhas já ...