quarta-feira, 20 de outubro de 2010

UM OUTRO TIPO DE DOR


Há, os poetas que cantam o amor

Se soubessem que há outro tipo de dor

Jamais mudariam

Lágrimas, lágrimas, lágrimas

Para todo o sempre amariam


Para quem sente a falta de um perfume

Rogo a Deus que permita

Permaneça a busca

Livrai do pesadelo que, enfim, ofusca

O peito de uma alma aflita


Jamais desista, alma penada

Jamais desvie, animal faminto

Nunca sinta o que eu sinto

Viva o luto, que pra mim é nada.


Edson Martins (março de 2003)

3 comentários:

Mariana disse...

Tio Jorge... Jorge Passos...
Hoje resolvi deixar um singelo comentário neste lindo blog que cuidas,cultivas e espalhas de uma forma apaixonada.
O blog está lindo, de encher a alma a todos que aqui visitam. Sou tua fã tio, sempre fui, de longe mas fui. Acho que nao tive a oportunidade de viver e aprender o tanto que queria ao teu lado mas mesmo assim teu espírito e teu jeito encantam todos que te conhecem e convivem contigo, mesmo os momentos acanhados como são os nossos.
Um beijo enorme tio, da leitora silenciosa que visita este formoso e acolhedor blog, Mariana Passos.

J P disse...

Obrigado minha querida Mariana! Os poetas da Confraria agradecem!

Fábio disse...

Grane Edson,
Parabéns! Que belo!
Abraço,
Fábio.

PROGRAMAÇÃO DA IV SEMANA DO PATRIMÔNIO DE JAGUARÃO/2022

  13 AGO 22 (Sábado) LOCAL : Prédio Tiaraju (Rua 15 de novembro, frente ao Museu Carlos Barbosa) 19:00 h : Cerimônia de abertur...