sábado, 16 de julho de 2011

Passeio Turístico: Visita ao Museu da Posta Del Chuy


Há perto da terrinha um lugar que apresenta o encanto natural da geografia local e narra um momento importante na história desta fronteira, este lugar fica aproximadamente a setenta quilômetros de Rio Branco e é chamado La Posta del Chuy.

Lá por 1855, sendo necessário o intercâmbio comercial na fronteira Brasil-Uruguai com a exportação de gado aos saladeiros do Rio Grande do Sul, o Uruguai precisava normatizar o translado dos animais ao longo do território nacional e definiu estratégias políticas de controle através da criação de impostos com a cobrança de pedágios por pontes, balsas, botes ou calçadas públicas, delimitando -desta forma -algumas localidades de passo obrigatório para os vaqueiros e as diligências que transitavam pelas estradas rurais.

Foi assinada então, uma parceria público/privada com os donos das propriedades que utilizaram seus comércios como hospedarias para os viajantes e que recaudariam os impostos exigidos pelo estado. Neste caso uma destas pontes era chamada de “ Puente de los vascos Etcheverry”. Conforme sugere o nome,  a propriedade era de um casal de vasco-franceses de sobrenome Etcheverry.  A ponte, assim como o edifício, é considerada única na América, pois está construída a base de pedras unidas sem cimento; a ponte possui quase 85 metros  de comprimento.   
Hoje, como Museu, exerce a importante missão de contar - na maneira como foi planejado e nos espaços que ainda preserva- a forma de vida dos peões e viajantes que viviam nas estradas da época.  

Há algumas limitações quanto ao uso dos espaços físicos da casa, porém o povo local utiliza o parque para passar suas tardes de descanso e sempre há alguém que pode ajudar a gente com uma térmica de água quente para o mate. A Posta do Chuí fica a pouco mais de 70 quilômetros de Rio Branco pela Ruta 26. Pode ser um pouco difícil o acesso à estrada de terra que leva até o local, mas, tomando cuidado e prestando atenção, encontram-se (POUCAS) placas indicativas. Existem dois acessos para a ponte, ambos com entrada pela Ruta 26; então se você perder a primeira entrada ande mais um pouco que encontrará o segundo acesso para quem vem de Rio Branco. Dias e horários de visitação podem ser vistos através do site da Intendência Municipal de Cerro Largo.
O convite está feito. Para aqueles que gostam de passeios de lazer e culturais eis aí uma boa pedida.

Abraço pessoal e agasalhem-se bem porque faz muito frio no sul!

Carina Lopez

Texto publicado na Coluna Gente Fronteiriça do Jornal Fronteira Meridional , edição do dia 07/07/2011
Postar um comentário