segunda-feira, 30 de abril de 2012

Esperança:Última fase de obras no teatro de 115 anos

Na primeira etapa do restauro, os trabalhadores encontraram 
uma série de objetos ligados à história do prédio.
 Crédito: arquivo da smct / cp

Palco do Esperança é importante espaço cultural para a região desde 1897

O Teatro Esperança, inaugurado em Jaguarão em 1897, passará pela segunda e última etapa de restauro. O edital de licitação foi publicado pela prefeitura neste mês. A edificação é tombada pelo Estado desde 1990 e integra o Conjunto Histórico e Paisagístico da cidade. A fase final terá investimento de R$ 4 milhões, oriundos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, e contrapartida municipal de R$ 156 mil. Segundo a diretora de Patrimônio da Secretaria de Cultura e Turismo, Andréa da Gama Lima, estão previstos 18 meses de trabalho. Serão recuperados palco, camarins, plateia, balcão nobre, escadas, recepção, piso, forro e lustre. O plano inclui os sistemas de iluminação e sonorização, além de novos banheiros

A primeira parte do restauro foi concluída em 2010, na qual o Iphan investiu R$ 1,1 milhão e a prefeitura, R$ 75 mil. Andréa diz que nessa etapa foram recuperados o telhado, a pintura decorativa de mural e as galerias. Também houve a reforma da estrutura de madeira, dos camarotes e do piso principal. Segundo ela, com a remoção do chão, os trabalhadores encontraram uma série de objetos ligados à história do prédio, como antigos folhetos de espetáculos, moedas e louças. "Esses fatos apontam para a necessidade de se realizar um projeto de prospecção e escavação arqueológica no local, a partir de um convênio entre a prefeitura e a Universidade Federal do Pampa, por meio de parceria no campo patrimonial", explica.

O teatro é um importante espaço cultural para a região Sul desde o fim do século XIX. Conforme Andréa, devido à posição estratégica de Jaguarão, a casa recebeu companhias dos grandes centros do país, que seguiam para Argentina e Uruguai. Também funcionou como cinema e palco de apresentações circenses e bailes. 

Caderno Cidades - Correio do Povo, edição de 29/04/2012

Postar um comentário