domingo, 3 de abril de 2011

Aos poetas e Loucos de cara

                                                                                                      Para Maria Fernanda



Aos poetas, cabeça acima da manada
Mesmo que a foice cobre o preço,
Aos poetas, Caranguejo liberto do balde
Mesmo sem saber se rumo à glória
Ou salto para o abismo.


A estes,  tira o chapéu o povo quando passam,
rende-lhes a nobreza seu assombro! 


Àqueles que se agarram ao senso médio,
Aos que não enxergam no horizonte
Nada além do que da vila os muros,
Aos promotores da Escola Bolsonaro da existência,
Aos que só pensam no buraco de sua rua
E só vislumbram a pequenez de seus umbigos.


A estes, das águas mornas  e  calmas  navegantes,
O caldo fervente os aguarda no panelão da História!


                                                                Jorge Passos


Foto:  Estátua de  Esteban Echeverría - Buenos Aires
Postar um comentário